Início

Últimas notícias

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Itamar é diplomado e está a um passo de ser Deputado Estadual

Depois de todo o processo eleitoral, os eleitos se reuniram no dia 15 para receberem o diploma que conferem ao portador o direito de legislar e representar a população goiana.

Itamar Barreto está prestes a ser Deputado uma vez que Helder Vallin está muito próximo de ser o Secretário das Cidades do Governo de Perillo. Caso isso se confime, Itamar tomará o lugar de Helder e será o representante de Formosa e toda a região na Assembléia Legislativa.

O Blog "Política Formosense" parabeniza Itamar e espera poder anunciar as principais ações do deputado mencionado durante o seu pleito.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

E o novo presidente será Rogério Martins

Após uma hora e meia de sessão extraordinária e com uma votação simples e democrática, o novo presidente da Câmara Municipal de Formosa será Rogério Martins que venceu as eleições para presidente com seis votos a favor contra quatro encaminhados para Eliton de Paiva "COM".
Sendo assim, a partir do dia 3 de janeiro, o novo presidente da Câmara será Rogério Martins que formará a seguinte chapa:

Presidente - Rogério Martins
Vice - Coronel Abigail
Primeiro Secretário - SD Caetano
Segundo Secretário - Edmundo Dourado "Mundim"
Terceiro Secretário - Domingos Filho

Durante a cerimônia, os dois candidatos fizeram um rápido pronunciamento parabenizando a presidência dos dois últimos presidentes se comprometendo a continuar com a boa sequência de trabalho.
Em seguida, todos os demais vereadores fizeram uso da palavra para cumprimentar os candidatos.
Após o pronunciamento dos vereadores, as eleições foram realizadas e em seguida foi feita a contagem dos votos que sagrou a presidência à Rogério.
A expectativa é de um bom mandato e de continuidade. É a primeira vez que uma chapa será composta por três integrantes da oposição.

Eleição para presidência da Câmara é hoje

A Câmara Municipal de Formosa se prepara para a eleição do próximo presidente. Até o momento, existem duas chapas protocoladas. A de Rogério Martins (PSB) (que possui representantes de esquerda) e a de Eliton de Paiva "COM" (PP) (que não possui todos os cinco representantes da mesa, um dos pré-requisitos para a disputa).
Durante o último mês houve um ar de mistério e expectativa para saber quem será o próximo presidente. Além dos mencionados, Coronel Abigail (DEM) e Soldado Caetano (PTB) chegaram a ser pré-candidatos.
De novembro para cá, a pré-candidatura de Rogério Martins incorporou a de Cel Abigail e SD Caetano e, com isto, até o momento tem grandes chances de superar o adversário.
Mesmo assim, ainda há um grande mistério e alguns dos parlamentares formosenses acredita que poderá acontecer alguma surpresa.
Saindo o resultado, o Blog "Política Formosense" irá divulgar em primeira mão. A eleição acontecerá às 9 horas no Plenário Arthur Magalhães Filho da Câmara Municipal de Formosa.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Equipe de Marconi já toma forma

O governador eleito Marconi Perillo (PSDB) vem guardando a sete chaves os nomes de quem fará parte de seu secretariado. Muito especula-se, pouco se confirma, mas é natural que algumas decisões mais importantes e mais esperadas vazem com o passar dos dias. O que se tem de mais palpável é o perfil dos auxiliares que Marconi tem escolhido. Os nomes que já são confirmados denotam a vontade de Marconi de aliar o conhecimento técnico de seus ajudantes a uma certa notoriedade da parte deles, o que é, em última análise, uma forma de facilitar as articulações políticas que devem ser feitas ao longo do mandato. O critério “competência”, capacidade para gerir, é fundamental.

Everaldo Maciel, expert em aumentar a arrecadação, foi cotado para assumir a Secretaria da Fazenda. Mas na segunda-feira, 13, o nome mais citado era o de um ex-secretário de Finanças da Prefeitura de São Paulo.

O engenheiro e empresário Wilder Pedro de Morais (DEM), suplente do senador Demóstenes Torres (DEM) e dono da Orca Construtora, é o nome indicado para assumir a Secretaria da Indústria e Comércio, tradicionalmente atribuída ao empresariado de Anápolis. Wilder é dono do maior shopping de Anápolis e tem fortes aliados na cidade. Alexandre Baldy, que estava cotado para o cargo, não assume a pasta, mas vai participar do governo. Genro de Marcelo Limírio, ex-dono da Neo Química, um dos maiores laboratórios de medicamentos, Baldy trabalha em Anápolis, mas seu nome enfrentou a resistência da Associação Comercial e Industrial de Anápolis. Wilder Pedro, com o shopping, é um dos maiores empregadores, ainda que indiretamente, da cidade. Além disso, pertence ao DEM, que reivindicou a secretaria. Se Demóstenes Torres for eleito prefeito em 2012, Wilder deixa a secretaria para assumir mandato de senador.

Deputado federal reeleito, Leonardo Vilela (PSDB), que reassumiu há pouco tempo o diretório estadual do partido, será o secretário do Meio Ambiente, pasta que era do PTB. Por ser competente e muito ligado a Marconi, Leonardo chegou a ser cotado para as secretarias da Agricultura e da Saúde. Líder do Partido Trabalhista Brasileiro, o deputado federal Jovair Arantes agora faz acordos para emplacar ao menos o secretário de Cidadania. Helder Vallin, que planeja disputar a Prefeitura de Goiânia pelo PSDB, também quer assumir a Secretaria de Cidadania.

Outro democrata que fará parte do novo secretariado é Vilmar Rocha, que poderá comandar a Secretaria de Educação ou o Gabinete Civil. O economista Giuseppe Vecci será o secretário do Planejamento. Vecci já foi responsável pela pasta nos governos anteriores de Marconi e também já esteve à frente da Secretaria da Fazenda. Além disso, ele é o responsável pelo plano de governo apresentado pelo tucano durante a campanha eleitoral. O democrata José Eliton deve ser indicado para uma secretaria, possivelmente a de Segurança Pública (para a qual tem sido citado o deputado federal e delegado de polícia João Campos) ou mesmo a presidência da Celg. Eliton já está montando equipe.

Para a Secretaria da Agricultura, a escolha de Marconi foi pelo nome de Antônio Flávio Camilo, superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-GO) — órgão integrante da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg). Gilvane Felipe (PPS) é cogitado para assumir a Secretaria de Ciência e Tecnologia ou a Agência Goiana de Cultura Pelo Ludovico Teixeira (Agepel).

O chefe de gabinete do governo poderá ser o ex-presidente da Agepel Nars Chaul, e Chiquinho Oliveira, o secretário particular. O empresário Ridoval Chiareloto, que já foi secretario da Indústria e Comércio, deve assumir a pasta do Comércio Exterior.

Na Agência Goiana de Comunicação Marconi ainda precisa escolher entre um dos três já marcados: o jornalista José Luiz Bittencourt, o geólogo Carlos Maranhão, que foi um dos responsáveis pelo marketing da campanha de Marconi, e ainda o ex-diretor do Detran Bráulio Moraes. João Bosco Bittencourt deve ser o assessor de Imprensa de Marconi Perillo.

Jorge Pinheiro e Valdivino Oliveira na Câmara dos Deputados

Os suplentes Jorge Pinheiro (PRB) e Valdivino Oliveira (PSDB) estão muito animados, pois foram informados que assumirão a vaga de Leonardo Vilela e Vilmar Rocha. O DEM perde uma vaga e o PSDB não perde nenhuma, porque Leonardo Vilela será substituído por outro tucano, Valdivino Oliveira.

Jorge Pinheiro assume mandato porque o governador eleito Marconi Perillo teria firmado um compromisso com o braço político da Igreja Universal, sobretudo com o senador Marcelo Crivella, do Rio de Janeiro.

Matéria retirada do site: http://www.jornalopcao.com.br/posts/ultimas-noticias/equipe-de-marconi-perillo-ja-toma-forma


Comentário do blogueiro: Note que apenas um deputado estadual é mencionado para assumir algum cargo indicado pelo novo governador. Seria Helder Valim, campeão de votos da última eleição e que faz parte da chapa de Itamar Barreto. Se Helder conseguir assumir a cadeira da Secretaria de Cidadania, Itamar será deputado estadual por Formosa. Caso o PTB de Jovair consiga a cadeira, ficará difícil de Itamar assumir sua vaga na Assembleia Legislativa.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Marconi é campeão de gastos da última eleição em Goiás

Os candidatos ao governo de Goiás em 2010 entregaram ontem (dia 30/11) a prestação de contas à Justiça Eleitoral. O governador eleito Marconi Perillo foi o candidato que mais gastou na campanha, com R$ 29,4 de despesas, valor cerca de R$ 11 milhões a mais que a soma de todos os outros candidatos juntos.

Iris Rezende (PMDB) gastou R$ 11,7 milhões, e o republicano Vanderlan Cardoso teve R$ 6,6 milhões de despesas. O candidato Washington Fraga (PSOL) declarou o mesmo valor de receitas e despesas, R$ 24.657,98. Até a manhã de hoje (01), a comunista Marta Jane não registrou sua prestação de contas.

Marconi Perillo foi o único candidato que obteve saldo positivo. O pessedebista declarou R$ 29,5 de receita, com cerca de R$ 122 mil sobrando em caixa. O ex-prefeito Iris Rezende teve R$ 10,3 milhões de receita, portanto com dívida de R$ 1,4 milhão. Vanderlan Cardoso (PR) foi o candidato que saiu com a maior dívida na campanha, cerca de R$ 3,5 milhões.

Confira todos os valores somados:

Marconi Perillo (PSDB) - Despesas: R$ 29.347.821,82 / Receita R$ 29.483.043,88

Iris Rezende (PMDB) - Despesas: R$ 11.704.341,41 / Receita R$ 10.356.346,34

Vanderlan Cardoso (PR) - Despesas: R$ 6.603.393,61 / Receita R$ 3.060.637,50

Washington Fraga (PSOL) - Despesas R$ 24.657,98 / Receita R$ 24.657,98

Marta Jane (PCB) - não declarou


Título alterado pelo blogueiro.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

COM, Coronel Abigail, Rogério e SD Caetano são pré-candidatos à Presidência da Câmara de Formosa

Diferentemente do que tem acontecido nos últimos anos, a Câmara Municipal de Formosa terá quatro pré-candidatos para as eleições da nova Presidência do Poder Legislativo.
Após Genedir Ribas (PSB), em 2009, e Divino Ramos (PTB), neste ano, o presidente para o ano que vem está entre Coronel Abigal (DEM), Eliton de Paiva “COM” (PP), Rogério Martins (PSB) e SD Caetano (PDT). Depois de muitos anos, o Poder Legislativo de Formosa volta a possuir várias opções para presidência das alas de situação e oposição ao governo do Poder Executivo.
Os demais vereadores é quem irão definir o novo presidente. Divino Ramos (PTB), Genedir Ribas (PSB) e Henrique Vieira (PTB) deverão votar em Eliton de Paiva para presidente em 2011. Já a ala de esquerda que possui Domingos Filho (PMDB) e Dr. Joelson (PPS) deverá apoiar a candidatura de Coronel Abigail ou de SD Caetano. E, correndo por fora, o vereador Edmundo Dourado “Mundim” (PP) poderá apoiar Rogério ou qualquer uma das outras chapas.
O grande número de candidatos à próxima presidência da Câmara vem de encontro ao racha proporcionado pela última eleição para governador e desentendimentos entre alguns vereadores no decorrer do ano. Para se ter uma noção da bagunça política, o prefeito municipal Pedro Ivo (PP) apoiou Marconi Perillo (PSDB) para Governador enquanto que a ala governista na Câmara, em sua maioria, apoiou o candidato Vanderlan Cardoso (PR).
Dentro da ala governista apenas Rogério Martins e Edmundo Dourado “Mundim” ficaram do lado do prefeito e apoiaram Marconi. O reflexo desse racha que aconteceu nas eleições deste ano para governador agora está se refletindo nas eleições para Presidência da Câmara Municipal do ano que vem.
Para um dos quatro pré-candidatos à presidência serem eleitos, quem possuir mais votos entre os vereadores é o novo presidente, em caso de empate o vereador mais idoso vence.
Até o momento, por conta dos apoios já declarados o novo presidente seria o candidato governista Eliton de Paiva “COM” que precisaria de apenas mais um voto para sagrar-se Presidente da Câmara em 2011.
No entanto é cedo afirmar que isto irá realmente acontecer já que os outros três candidatos poderão negociar a presença de apenas um candidato que tenha força capaz de receber os outros seis votos dos vereadores e neste caso, o vereador Coronel Abigail, SD Caetano e Rogério Martins teriam grandes chances de ser o novo presidente. Basta terem um bom entendimento entre eles.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Marconi divulga 14 nomes na equipe de transição

Confira o que saiu no site "Último Segundo" falando sobre os nomes da equipe de transição:


"O governador Marconi Perillo divulgou hoje para a imprensa os 14 nomes que comporão a equipe de transição do governo.


Entre os destaques estão o vice-governador eleito José Eliton (DEM) na coordenação do grupo e o cacique tucano e ex-prefeito de Goiânia Nion Albernaz na coordenação política.


Entre os membros do grupo político estarão Antônio Faleiros, que fez coordenação política da campanha; Ênio Paschoal, que foi secretário do governador Irapuan Costa Júnior em 1976; Fernando Cunha, ex-secretário de governo de Alcides Rodrigues e Jales Fontoura, ex-secretário da Fazenda de Marconi.


Na coordenação técnica estará o responsável pelo plano de governo da campanha, Giuseppe Vecci. No grupo estarão o deputado Daniel Goulart, Jaime Rincon, João Furtado e José Carlos Siqueira, que foi coordenador-geral da campanha.


Na assessoria da equipe de transição estarão Eliana França, Ismerim Medina e Lorena Dayrell."

Autor: Rodrigo Viana
Retirado do site: http://ultimosegundo.ig.com.br/marconi+divulga+equipe+de+transicao/n1237823505395.html

Comentário do blogueiro: O nome de Daniel Messac não foi confirmado e, com isto, ficará difícil Itamar Barreto (DEM) ir à Assembleia Legislativa representar Formosa. Além de Daniel, não há outro nome dos deputados eleitos para o próximo pleito, o que faz com que Itamar fique realmente de fora. No entanto, ainda restam alguns meses até a posse e, pode ser, que surja uma vaga. É esperar para ver.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Messac é cotado para Secretaria e Itamar Barreto poderá representar Formosa na Assembleia

As informações são do site "Último Segundo" publicado via internet no último dia 4 de novembro.
Confira a matéria do site abaixo na íntegra:

"Vecci, Siqueira e Goulart cotados para o primeiro time de Marconi


Nomes poderão ser confirmados pelo governador eleito para Fazenda, Planejamento e Agecom, respectivamente


Os nomes mais cotados para compor a equipe de transição do governador eleito Marconi Perillo (PSDB) são Giuseppe Vecci, José Carlos Siqueira, Daniel Goulart e Daniel Messac, segundo fontes do partido. 
Vecci e Siqueira estão cotados para as duas secretarias de maior peso na gestão: Fazenda e Planejamento. 
Ambos tiveram participação de peso durante a campanha com Vecci na elaboração do plano de governo e Siqueira na coordenação geral da campanha.
O presidente regional do PSDB e deputado estadual até dezembro, Daniel Goulart, também está na lista de “quase certos” para ocupar a presidência da Agência Goiana de Comunicação (Agecom).
Seu antecessor, Marcus Vinícius Faria Felipe, foi preso em flagrante na véspera do segundo turno da eleição distribuindo panfletos do candidato derrotado Iris Rezende (PMDB) em um bairro de Goiânia.
A favor de Goulart pesa o fato de ele ter assumido ações de peso contra Iris e Vanderlan na campanha.
Foi o parlamentar que analisou o contrato do governo com a Caixa e coordenou ações na Justiça, como a que pediu apuração de distribuição de panfletos apócrifos na Internet. 
Já Daniel Messac é o menos crítico de todos ao governo Alcides, já que fez parte de uma secretaria extraordinária.
A utilização do deputado eleito Daniel Messac também é estratégica, já que liberaria vaga para suplente.
A previsão é de que os nomes só serão divulgados oficialmente na próxima semana, conforme adiantou o governador eleito Marconi Perillo."


Matéria de Rodrigo Viana
Retirada do site: http://ultimosegundo.ig.com.br/vecci+siqueira+e+goulart+cotados+para+o+primeiro+time+de+marconi/n1237820010320.html

Comentário do blogueiro:
Note que, a partir do momento que Daniel Messac for confirmado para uma das Secretarias, a vaga de suplente do partido, pertecente a Itamar Barreto (DEM) será liberada. Ou seja, caso Daniel realmente seja secretário, Formosa finalmente terá o seu representante na Assembleia do Estado com Itamar. O formosense recebeu cerca de 24 mil votos nas últimas eleições e é primeiro suplente da chapa do partido de Marconi Perillo.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Formosa está na expectativa em torno do secretariado estadual

Depois das últimas eleições no fim do mês passado, a cidade de Formosa agora aguarda a formação do secretariado estadual para ver se o suplente ao cargo de deputado estadual, Itamar Barreto (DEM), irá ou não para a Assembleia Legislativa de Goiás ou para, com mínimas chances, para uma das secretarias.
Segundo os jornais do estado e a mídia na internet, Marconi Perillo, governador eleito para o próximo pleito, irá definir sua equipe na próxima semana. Até lá ele observará quais serão os possíveis nomes que irão ocupar as Secretarias Estaduais.
O que se observa é que o próximo governador não cederá à pressões políticas para formar sua equipe. Por enquanto, Giuseppe Vecci e Valdivino Oliveira (ex-PMDB e ex-vice prefeito de Goiânia) são dois dos nomes mais cotados. O que não abriria vaga para o deputado Itamar assumir sua vaga.
Para que ele (Itamar) vá à Assembleia representar Formosa é necessário que o novo governador escolha um dos dez deputados de sua coligação para alguma das Secretarias, caso contrário, a cidade de Formosa não terá nenhum representante.
Nas últimas eleições, Marconi obteve cerca de 55% dos votos válidos no primeiro turno (mesmo com a cidade tendo um candidato a vice-governador) e 70% dos votos válidos no segundo turno dentro da cidade de Formosa, o que demonstra o grande prestígio que o candidato obtém na cidade.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Blog Política Formosense tem média de 27 visitas diárias e 50% de aumento

É com grande alegria e felicidade que nós agradecemos a todos os internautas, amigos e pessoas que visitaram nosso blog nos últimos 3 meses.
Até o momento, o blog obteve 1.361 visitas desde sua criação no fim de julho.
Começando com 58 visitas em agosto o blog alcançou 440 visitas no seu segundo mês de vida e 837 no mês do segundo turno (em outubro).
Com as pesquisas de Goiás e do Brasil, o blog se pautou, no segundo turno, a trazer todo o tipo de pesquisa eleitoral enquanto que no primeiro turno foi o único sítio que levou informações de todos os candidatos à deputado estadual em Formosa.
Com uma média de 27 visitas diárias no último mês e com quase 50% de aumento no número das visitas a este blog nós agradecemos enormemente a presença de cada um.
Agora o blog deverá se pautar, vez ou outra, ao que acontece dentro da Câmara Legislativa Municipal e ao que acontece no Poder Executivo local. Você, que gosta de se informar sobre o que acontece na política formosense de modo imparcial e bem diferente do que as rádios e jornais locais anunciam, nos coloque como favorito e acesse nosso conteúdo sempre que possível.
É com grande felicidade que agradecemos aos mais de mil acessos alcançados sem publicidade na mídia local.
Obrigado!

Resultados do segundo turno em todo Brasil

Vamos aos resultados das eleições para governadores em todo o Brasil em ordem alfabética:

ALAGOAS
Teotonio Vilela (PSDB) - 712.789 (52,74%)*
Ronaldo Lessa (PDT) - 638.762 (47,26%)

AMAPÁ
Camilo Capiberibe (PSB) - 170.277 (53,77%)*
Lucas (PTB) - 146.383 (46,23%)

DISTRITO FEDERAL
Agnelo (PT) - 875.612 (66,10%)*
Roriz (PSC) - 449.110 (33,90%)

GOIÁS
MARCONI PERILLO (PSDB) - 1.551.132 (52,99%)*
ÍRIS REZENDE (PMDB) - 1.376.188 (47,01%)

PARÁ
Simão Jatene (PSDB) - 1.860.799 (55,74%)*
Ana Júlia (PT) - 1.477.609 (44,26%)

PARAÍBA
Ricardo Coutinho (PSB) - 1.079.164 (53,7%)*
Zé Maranhão (PMDB) - 930.331 (46,3%)

PIAUÍ
Wilson Martins (PSB) - 921.313 (58,93%)*
Sílvio Mendes (PSDB) - 642.165 (41,07%)

RONDÔNIA
Confucio Moura (PMDB) - 422.707 (58,68%)*
João Cahulla (PPS) - 297.674 (41,32%)

RORAIMA
Anchieta (PSDB) - 107.466 (50,41%)*
Neudo Campos (PP) - 105.707 (49,59%)

PRESIDENTE DO BRASIL

DILMA ROUSSEFF (PT) - 55.752.092 (56,05%)
JOSÉ SERRA (PSDB) - 43.710.422 (43,95%)

ABSTENÇÃO - 29.194.356 (21,50%)
BRANCOS - 2.452.591 (2,3%)
NULOS - 4.689.310 (4,4%)

TOTAL - 106.604.687 eleitores.


Resultado de todas as cidades de Goiás no segundo turno

Para que você possa ter acesso à todas as informações do segundo turno como, a quantidade de votos para Dilma, Serra, Íris e Marconi. Quantas pessoas deixaram de votar, quantas votaram em branco ou nulo. Acesse o link abaixo. Assim que clicar, será perguntado onde gostaria de salvar o arquivo. O arquivo está em pdf (abre no Adobe Acrobat) e é de autoria do TRE-GO. O link foi puxado do site do Tribunal e não possui vírus.
PS: OS RESULTADOS SÃO REFERENTES APENAS AO ESTADO DE GOIÁS E O NÚMERO DE VOTOS POR CIDADE EM GOIÁS.

CLIQUE AQUI e obtenha os resultados.



Resultados do segundo turno em Formosa

Depois de uma expressiva votação no primeiro turno, obtendo grande vantagem para o segundo colocado, Marconi Perillo viu sua vantagem diminuir no segundo turno. Nada que tirasse a vitória no dia da eleição.
Em Formosa, assim como boa parte do Brasil, a abstenção esteve dentro dos padrões normais neste segundo turno com 14.085 eleitores deixando de ir às urnas. Em relação aos votos válidos, Marconi e Dilma lideraram a votação na cidade formosense. Veja abaixo a quantidade de votos para cada um dos candidatos:

GOVERNADOR:

MARCONI FERREIRA JÚNIOR - 31.066 votos (70,13%)
ÍRIS REZENDE MACHADO - 13.229 votos (29,87%)


PRESIDENTE:

DILMA VANA ROUSSEF - 23.078 votos (51%)
JOSÉ SERRA - 22.173 votos (49%)


COMPARATIVO DAS VOTAÇÕES DO PRIMEIRO E SEGUNDO TURNOS

Abstenção e votos brancos e nulos
Enquanto que no primeiro turno houveram cerca de 18 mil abstenções e votos brancos e nulos (11 mil abstenções e 7 mil em branco e/ou nulo). No segundo turno a abstenção foi um pouco maior enquanto que os votos nulos e brancos diminuíram. Foram 14.085 abstenções em Formosa enquanto que 1.165 votaram em branco e 2.534 anularam o seu voto. No total os números de não votantes e de votos inválidos (brancos e nulos) foi um pouco menor que no primeiro turno.

Votos para governador
No primeiro turno obtivemos os seguintes números para governador de Goiás em Formosa:

Marconi Perillo - 25.174 votos
Vanderlan Cardoso - 11.948 votos
Íris Rezende - 8.042 votos
Já no segundo turno, Marconi alcançou cerca de 31 mil votos enquanto Íris chegou aos 13 mil. Deste modo, podemos observar que os eleitores de Vanderlan em Formosa ficaram divididos entre os dois governadoriáveis do estado de Goiás.
Observe que Marconi saiu de quase 25 mil votos para 31 mil (obtendo cerca de 6 mil votos a mais que no primeiro turno). Já Íris saiu dos pouco mais de 8 mil votos para 13 mil (obtendo cerca de 5 mil votos a mais que no primeiro turno). Deste modo podemos afirmar que pouco mais da metade do eleitorado de Vanderlan foi para o lado de Marconi enquanto que Íris absorveu quase metade deste eleitorado em Formosa.

Votos para presidente

No primeiro turno, a diferença de votos de Dilma para Serra em Formosa foi de pouco mais de 500 votos. Assim como no caso dos governadores, os eleitores do terceiro colocado se dividiram entre Dilma e Serra e a vantagem dos dois permaneceu numericamente quase a mesma com uma maior vantagem para Dilma. De 500 votos de vantagem no primeiro turno, Dilma alcançou distância aproximadamente de 900 votos no segundo turno.

Comentários do blogueiro
A cidade de Formosa espera poder colher bons frutos do próximo pleito e uma das ansiedades da cidade está em torno da Barragem do Bandeirinha que garantiria o abastecimento de água para nossa cidade por um longo período.
Com a eleição de Marconi existe uma grande expectativa em torno da saída de Itamar da suplência para, enfim, chegar à Assembleia Legislativa do Estado de Goiás.
Na presidência, com Dilma, a expectativa é a manutenção dos programas de Lula com melhoramento da saúde e educação no Brasil. A ascenção da primeira mulher à presidência do Brasil é vista com bons olhos e a torcida é que o Brasil e o estado de Goiás evoluam bastante no próximo pleito. Parabéns aos eleitos.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Feriado não deve ser um fator decisivo destas eleições

O feriado de Finados não deve influenciar no resultado da eleição. Segundo o Ibope, é praticamente igual a proporção de eleitores de Dilma Rousseff (PT) e de José Serra (PSDB) que pretendem ficar nas suas cidades e votar neste domingo: 95% e 94%, respectivamente.

O instituto perguntou aos eleitores o que pretendem fazer neste fim de semana prolongado, já que na terça-feira é feriado. Do total, 93% disseram que não viajarão antes de votar. Apenas 3% dizem que pretendem não votar, mas em igual proporção entre eleitores de Dilma e Serra.

Outros 3% disseram que ainda não decidiram ou que sua decisão depende de outros fatores, como o clima. Entre esses, a proporção é maior entre os que declaram voto no tucano (39%, ante 28% da petista). De qualquer modo, a diferença de 14 pontos dos votos válidos em favor de Dilma é muito maior do que a soma dos que assumem que não viajarão e dos que admitem essa possibilidade. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/artigo.aspx?cp-documentid=26141492

Hoje é dia de debate na Globo, o último do segundo turno

A Rede Globo realiza nesta sexta-feira (29) debate com os candidatos à Presidência da República Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB).
O último debate da campanha ocorrerá na Central Globo de Produção, no Rio de Janeiro. A mediação será do jornalista William Bonner. A transmissão começa logo após a novela "Passione".
Os candidatos responderão a perguntas formuladas por eleitores indecisos, que estarão na plateia. O instituto de pesquisas Ibope foi responsável pela seleção dos participantes, oriundos de diferentes estados do país.
A definição das perguntas seguiu a segunte dinâmica: na véspera do debate, cada eleitor indeciso formulou cinco perguntas, individualmente e por escrito, sobre temas de interesse nacional definidos pela produção.
Os temas são: saúde, educação, meio ambiente, políticas sociais, previdência, investimento em infraestrutura, política econômica, agricultura, saneamento, política externa, corrupção, transportes, desemprego, segurança, habitação, funcionalismo público, impostos, legislação trabalhista e energia.
De um total de 400 perguntas, foram selecionadas as 12 mais representativas de cada tema. As questões não serão específicas ou dirigidas a um dos dois candidatos.

Estrutura e regras


O debate terá três blocos, em que os dois candidatos responderão as perguntas dos indecisos. Um sorteio definirá o candidato que responderá a primeira questão. A segunda pergunta será respondida pelo segundo candidato e assim sucessivamente, fazendo com que ambos respondam o mesmo número de questões.
O candidato da vez sorteará o eleitor indeciso, que terá 30 segundos para ler sua pergunta. O candidato terá dois minutos para a resposta, com dois minutos de réplica do outro candidato e mais dois minutos para a tréplica. Ao fim do terceiro bloco, os candidatos terão dois minutos para fazer suas considerações finais.
Uma arena será o cenário do debate, o que facilitará a movimentação dos candidatos durante as respostas. Os eleitores indecisos estarão sentados em volta. Se algum candidato não comparecer, os indecisos farão todas as perguntas para o candidato presente.
Ao final do debate, os candidatos concederão à imprensa entrevista coletiva de cinco minutos. A ordem das entrevistas foi determinada por sorteio. José Serra será o primeiro a falar com a imprensa, seguido por Dilma Rousseff.

Matéria com título alterado e retirado integralmente do site: http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/10/rede-globo-promove-debate-com-candidatos-presidencia.html

Dilma vira em Goiás e abre 14 pontos de vantagem para Serra

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, disparou nas intenções de voto em Goiás e está 14 pontos percentuais à frente do rival tucano José Serra. A petista tem 57% contra 43% do tucano, segundo uma pesquisa do Ibope divulgada nesta quinta-feira (28) pelo jornal O Popular, de Goiânia.

No levantamento anterior, feito há oito dias, Serra aparecia na frente de Dilma, mas na margem de erro. Ele tinha 47% contra 45% da petista.

A atual vantagem leva em conta somente os votos válidos, quando são excluídos os brancos, nulos e indecisos. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Em votos totais, a petista aparece com 51% e Serra com 39%, uma vantagem menor, de 12 pontos percentuais. Nesse caso, os indecisos são 5%, o mesmo índice de quem vai votar em branco ou nulo.

A pesquisa entrevistou 1.204 eleitores em 55 cidades de Goiás e foi registrada entre os dias 24 e 26 de outubro, no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) sob número 53.868/2010, e no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número 37.516/2010.

Matéria com título alterado e retirado integralmente do site: http://noticias.r7.com/eleicoes-2010/noticias/dilma-dispara-em-goias-e-abre-14-pontos-sobre-serra-no-estado-20101028.html

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

IBOPE indica Marconi e Íris cada vez mais empatados

Em uma das últimas pesquisas antes das eleições Íris tem ganhado cada vez mais força segundo a pesquisa Ibope e coloca os dois empatados a poucos dias das eleições. Recentemente o SERPES lançou uma pesquisa onde Marconi liderava com mais folga. Qual dos dois institutos estariam certos desta vez? Façam suas apostas, na minha opinião, nenhuma das pesquisas vale mais que os resultados das urnas no dia 31 de outubro. Veja a matéria retirada do site Terra e que fala sobre a pesquisa do IBOPE:


"Os ex-governadores de Goiás Marconi Perillo (PSDB) e Íris Rezende (PMDB) estão tecnicamente empatados na disputa pelo governo de Goiás, aponta pesquisa Ibope/TV Anhanguera divulgada nesta quarta-feira (27). Perillo aparece com 46% das intenções de voto, contra 45% de Íris. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.
Brancos e nulos somam 4% e eleitores que não souberam responder, 5%. Com a margem de erro, o tucano pode ter entre 43% e 49% das intenções de voto, e Íris entre 42% e 48%. Em votos válidos, Perillo tem 51% da preferência dos eleitores, contra 49% de Íris.
A pesquisa Ibope foi encomendada pela TV Anhaguera e realizada entre os dias 24 e 26 de outubro. O levantamento ouviu 1.204 eleitores em 55 municípios e foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número 36429/2010."

Site: http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/noticias/0,,OI4759200-EI15314,00-Perillo+e+Iris+estao+tecnicamente+empatados+em+GO+diz+Ibope.html




quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Pesquisa SENSUS coloca Dilma a frente por 15,2% sobre Serra.

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, tem 51,9% das intenções de voto, ante 36,7% de seu adversário, o tucano José Serra, segundo pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta manhã. A vantagem de Dilma para Serra aumentou de cinco pontos porcentuais da pesquisa anterior, na semana passada, para 15,2 pontos agora. No levantamento anterior, Dilma tinha 46,8% e Serra, 41,8%.

Ao se considerar somente os votos válidos - o que exclui nulos e brancos e se redistribui os indecisos proporcionalmente, Dilma tem 58,6% e Serra, 41,4%. A rejeição à candidata petista caiu de 35,2% da pesquisa anterior para 32,5%. Já a rejeição a Serra subiu de 39,8% para 43%.

O levantamento, com margem de erro de 2,2 pontos porcentuais, foi feito com dois mil eleitores, entre os dias 23 e 25 de outubro, em 136 municípios e foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 37609/2010.

Matéria retirada do site: http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/artigo.aspx?cp-documentid=26108559
Título alterado pelo blogueiro

Comentário do blogueiro: Só pra registrar, o mais interessante a se afirmar é que esta mesma pesquisa é a que indicava menor diferença entre Serra e Dilma dentre todas as outras dos países. Em uma semana, a diferença de 5% subiu para 15.

SERPES indica liderança de Marconi com 9 pontos de vantagem sobre Íris

A segunda rodada da pesquisa de votos Serpes/O Popular para governador de Goiás no segundo turno aponta a vantagem do candidato Marconi Perillo (PSDB) à frente do concorrente Iris Rezende (PMDB). Marconi tem 51,7% das intenções de voto e Iris, 41,8%. A diferença de 9,9 pontos percentuais. Nulos somam 3,2% e 3,3% estão indecisos.

Se contados apenas os votos válidos, Marconi tem 55,3% e Iris, 44,7%. Na primeira rodada, o tucano tinha 52,9% e oscilou 1,2 pontos para baixo, mas ainda dentro da margem de erro de 3,1 pontos percentuais para mais ou para menos. O candidato peemedebista tinha 41,4% e ganhou 0,4 pontos, também dentro da margem de erro.

Iris tem índice de rejeição de 23,1% e o tucano 19,3%. Quanto ao quesito “eleitores que não rejeitam ninguém,” o percentual é de 58,5% e 1,3% ainda não sabem em que votar no dia 31.

Dilma e Serra

A pesquisa confirma ainda virada dos candidatos à Presidência da República, José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) em Goiás, os dados apresentam o tucano com 47,5% das intenções de voto e a candidata petista, 44,5%. A pesquisa foi realizada entre os dia 19 e 22 de outubro com 1.001 eleitores. E está registrada do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Matéria retirada do site: http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoes/marconi+continua+lider+no+go+diz+serpes/n1237811981506.html
Matéria com título alterado pelo blogueiro.

DATAFOLHA indica manutenção da vantagem de Dilma sobre Serra

O Datafolha divulgou na noite desta terça-feira (26) mais uma pesquisa de intenção de voto para a Presidência da República. Na média nacional, segundo o levantamento, a candidata petista Dilma Rousseff tem 56% dos votos válidos (que excluem brancos, nulos e indecisos), contra 44% do tucano José Serra, mesmos índices que os dois candidatos obtiveram no último levantamento, do dia 21 de outubro.
Nos votos totais (que contam brancos, nulos e indecisos), a petista tem 49%, e o tucano, 38%. Em branco, nulo e nenhum somaram 5%, não sabe, 8%. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 50%, e Serra, 40%. Brancos, nulos e nenhum eram 4%, não sabe somavam 6%.
Além dos números gerais, o Datafolha também calculou o percentual alcançado pelos candidatos em segmentos do eleitorado como sexo e nas regiões do país. O quadro ao lado mostra as intenções de voto totais (que não incluem brancos, nulos e indecisos) de Dilma e Serra apuradas pelo instituto.
Eleitorado masculino e feminino
Entre os homens, Dilma foi de 55% das intenções de votos totais do levantamento anterior para 53% agora. Serra passou de 38% da pesquisa do último dia 21 para 37% no levantamento desta terça.
Entre as mulheres, Dilma passou de 45% para 46%, e Serra, de 41% para 39%.
Por região
No Norte/Centro-Oeste, Dilma foi de 49% dos votos totais, apurados no levantamento de 21 de outubro, para 47%, e Serra foi de 42% da pesquisa anterior para 43%.
No Sudeste, Dilma manteve no levantamento desta terça o índice de 44% obtido na pesquisa anterior. Serra foi de 43% para 40%.
No Sul, Dilma foi de 39% para 41%; novamente, Serra passou de 50% para 48%, de acordo com o Datafolha.
No Nordeste, Dilma passou de 65% para 64%; Serra foi de 28% para 27%.
Sobre a pesquisa
Realizado nesta terça, o levantamento do Datafolha ouviu 4.066 pessoas em 246 municípios e tem margem de erro de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.
Segundo o instituto, a candidata do PT, Dilma Rousseff, tem 56% dos votos válidos (que excluem brancos, nulos e indecisos), e o candidato do PSDB, José Serra, 44%. Pela margem de erro, Dilma pode ter de 54% a 58%, e Serra, de 42% a 46%.
Considerando-se os votos totais (que incluem brancos, nulos e indecisos), a petista tem 49%, e o tucano, 38%. Brancos e nulos somam 5%, e 8% disseram não saber em quem votar. Na pesquisa anterior, Dilma registrou 50%, e Serra, 40%. Brancos e nulos somaram 4%, e indecisos, 6%.
A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo” e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 37404/2010.

Governo Lula
O Datafolha também avaliou o governo Lula. A pesquisa apontou, pela terceira semana consecutiva, um patamar recorde de aprovação. Avaliaram a administração como ótima ou boa 83% dos eleitores. Os que consideram seu governo regular são 13%, enquanto 3% dizem que ele é ruim ou péssimo.

Matéria retirada do site G1.com
Retirada do site http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/10/veja-intencoes-de-voto-presidencia-por-sexo-e-regiao-segundodatafolha.html
Matéria sem intervenção do blogueiro.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

PSDB-GO protocola denúncias na PF contra panfletos apócrifos

O PSDB de Goiás protocolou nesta segunda-feira (25) várias denúncias na Polícia Federal contra ações que estariam prejudicando o candidato tucano ao governo do Estado, Marconi Perillo (PSDB) neste segundo turno. A principal delas se refere à distribuição de panfletos apócrifos e à circulação de materiais com informações caluniosas contra o candidato.
De acordo com a assessoria de Comunicação Social da Polícia Federal, os documentos serão encaminhados para a Delegacia de Defesa Institucional, a cargo do delegado James Gomes Solis, responsável pelos crimes eleitorais, que deve encaminhar o material ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) antes de instaurar a investigação.
"Estamos aqui pedindo que a Justiça Eleitoral investigue para que as eleições sejam limpas", explicou o presidente do PSDB goiano e deputado estadual Daniel Goulart, informando também que os tucanos pedem que a Polícia Federal faça busca e apreensão dos panfletos e de outros materiais e que realize a devida identificação dos autores.
Segundo o tucano, o partido também denuncia compra de votos em algumas cidades do Estado. "Recebemos uma denúncia de que existem pessoas no interior já trabalhando a contratação acima do preço de mercado de cabos eleitorais", disse. Por orientação da assessoria jurídica do PSDB, porém, o material protocolado não foi exibido à imprensa, para garantir o sigilo e não dificultar as investigações.
De acordo com o dirigente tucano, o partido reuniu também mensagens de redes sociais, e-mails e carros plotados com mensagens caluniosas para fomentar "calúnias" contra o candidato do PSDB. Há também informações sobre vídeos, circulando na internet, e indicações do uso da máquina administrativa da Prefeitura de Municipal de Aparecida de Goiânia, administrada pelo ex-governador Maguito Vilela (PMDB), na campanha contra o tucano.
"A Secretaria de Esporte da prefeitura tem passado e-mails pedindo votos", acusou. Segundo Goulart, não dá para apontar, sem um exame rigoroso, os autores dessas ações. "Claro que isso parte dos nossos adversários, que tentam de todas as formas virar a eleição. Não podemos afirmar se vem de A ou B, mas quem pode ter vantagem com isso sem dúvida nenhuma é o candidato adversário", ressaltou.
Especificamente sobre a denúncia contra a Prefeitura de Aparecida de Goiânia, o secretário de esportes do município, Nei Silvio de Oliveira, nega que o e-mail utilizado seja o oficial da secretaria. "A denúncia não procede, já que, pelo que fiquei sabendo, a conta de e-mail citada é do Hotmail, que é de domínio público. Ou seja, qualquer um poderia ter feito. Este não é o nosso e-mail", disse, acrescentando que vai esperar ser notificado oficialmente para detalhar sua defesa.

Matéria retirada do site: http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/noticias/0,,OI4754890-EI15324,00-PSDBGO+protocola+denuncia+na+PF+contra+panfletos+apocrifos.html

Vox Populi: Pesquisa indica crescimento da vantagem da petista sobre o tucano

Pesquisa Vox Populi divulgada nesta segunda (25) indica a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, com 57% dos votos válidos (que excluem brancos, nulos e indecisos). O adversário da petista no segundo turno, José Serra (PSDB), tem 43%, segundo o instituto.
A margem de erro da pesquisa é de 1,8 ponto porcentual para mais ou para menos, segundo o Vox Populi.
Pelo critério de votos totais (que incluem brancos, nulos e indecisos), Dilma aparece com 49% e Serra, com 38%. Brancos e nulos somam 6% e indecisos são 7%. De acordo com a pesquisa, 88% dos entrevistados disseram estar decididos sobre em quem votar.
O levantamento, encomendado pelo portal iG, foi realizado de 23 a 24 de outubro e ouviu 3 mil eleitores em 214 municípios.  Está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo número 37.059/2010.

Matéria retirada do site: http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/10/dilma-tem-57-dos-votos-validos-e-serra-43-diz-pesquisa-vox-populi.html
Matéria com título alterado.

Debate de ontem tem diversos temas centrais

Confira a matéria do site G1.com que relata os fatos que ocorreram no debate de ontem:


Os candidatos à Presidência Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) participaram na noite desta segunda-feira (25) de mais um debate deste segundo turno das eleições. O encontro aconteceu em São Paulo e foi promovido pela TV Record.
O debate foi dividido em três blocos. No primeiro e no segundo bloco, cada candidato fez duas perguntas para o adversário. Quem pergunta tem direito a réplica e quem responde tem direito à tréplica. No terceiro bloco, cada candidato fez uma pergunta ao adversário. Na sequência, eles fizeram as considerações finais.
O debate, que durou cerca de 1h30 e abordou os seguintes temas: Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), obras na região Nordeste, internet banda larga, denúncias de corrupção, Prouni, projeto ficha limpa, saúde, exploração do petróleo do pré-sal, geração de empregos e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).
A primeira pergunta do debate foi feita por Dilma. Ela mencionou o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e questionou Serra sobre as obras que o adversário propunha para a região Nordeste.
O tucano partiu para o ataque. Ele afirmou que o PAC é uma “lista de obras” e que apenas “1/7 do programa foi realizado até agora”. Serra citou como prioridades obras como a Ferrovia Transnordestina, projetos de irrigação, aeroportos e portos. Dilma rebateu afirmando que as obras propostas pelo candidato adversário estão na sua maioria em andamento. Ela citou refinarias de petróleo e ferrovias como exemplo. Serra rebateu dizendo que o governo federal colocou tudo numa lista e que muitas delas já foram definidas em governos anteriores.
Na sequência, os candidatos começaram debatendo sobre banda larga, mas as declarações partiram para as denúncias de corrupção. Tudo começou quando Serra destacou que Erenice Guerra estava por trás do Plano Nacional de Banda Larga, que na sua visão é ineficiente. A ex-ministra deixou o cargo em setembro em meio a um escândalo de suposto tráfico de influência realizado por seus familiares.
Dilma aproveitou a menção para lembrar que Erenice está sendo investigada e depôs na Polícia Federal nesta segunda-feira (25) e citou o ex-diretor de engenharia da Dersa Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, cobrando do candidato do PSDB que o governo paulista realize investigações contra ele. Paulo Preto estava a frente de obras como o Rodoanel e seria suspeito de ter desviado R$ 4 milhões de contribuições para a campanha de Serra. O ex-diretor é investigado também pela Operação Castelo de Areia da Polícia Federal que investiga fraudes em licitações.
O tucano negou que tenha havido o desvio de recursos de campanha e tratou o tema como “invenção”. Ele afirmou que Paulo vem sendo investigado e rebateu destacando a proximidade de Dilma com Erenice. Serra citou ainda o diretor da Eletrobras Valter Cardeal, que seria próximo de Dilma, e destacou a acusação feita por um banco público alemão a Cardeal sobre fraude em um empréstimo. Dilma afirmou que é importante investigar corrupção e voltou a cobrar que se abram investigações contra Paulo Preto.
No segundo bloco, o tema que mais mobilizou os candidatos foi a exploração de petróleo na camada pré-sal. Serra puxou o tema questionando Dilma sobre 108 empresas privadas que teriam se beneficiado no governo Lula de concessões na área de petróleo, inclusive no pré-sal.
Dilma afirmou que antes do pré-sal o petróleo brasileiro era de baixa qualidade e em pequena quantidade. Por isso, segundo ela, é preciso mudar agora o modelo de concessão para partilha. Dilma afirmou que o PSDB vota contra o modelo de partilha no Congresso e, por isso, seria a favor de privatizar o pré-sal.
Serra afirmou que não há diferença entre o petróleo de antes e o atual. Ele afirmou que quem defende o modelo de concessão não poderia ser acusado de privatização porque o próprio governo do qual Dilma fez parte utilizou o modelo mais ainda que o anterior. Dilma reafirmou que há diferença entre os dois petróleos e que por isso é preciso agora alterar o modelo.
Os candidatos tiveram divergências também relativas à área de segurança pública. Serra defendeu a criação do Ministério de Segurança Pública e ironizou ao chamar os veículos aéreos não tripulados (Vants) defendidos por Dilma para patrulhar fronteiras como “disco voador”. A petista afirmou ser “tolice” ridicularizar a proposta e defendeu ainda o fortalecimento da Força Nacional de Segurança Pública.
No terceiro bloco, os candidatos trataram ainda da relação com o MST e a geração de empregos. Nas considerações finais, Dilma focou sua palavra para os eleitores do Nordeste. “Nunca mais o Nordeste, no que depender do meu governo, será tratado como região de segunda categoria”. A petista afirmou ainda que vai focar seu governo em cuidar das pessoas e se disse preparada para ser presidente.
Serra usou sua despedida para enfatizar a importância da eleição e pregar um governo de União. “Quero para o Brasil não intolerância dos punhos fechados, mas a fraternidade entre todos os brasileiros, quero união entre todos os estados, não o antagonismo”. O tucano defendeu ainda que o desenvolvimento alcance todas as regiões.

Matéria retirada do site: http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/10/dilma-e-serra-participam-de-debate-eleitoral-na-tv.html

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Rede Record fará debate com os candidatos à presidência

O debate entre os candidatos à Presidência da República que a TV Record vai promover nesta segunda-feira (25), às 23h, e que será transmitido ao vivo pelo R7, será decisivo para o resultado do segundo turno das eleições deste ano, marcado para o dia 31 de outubro. É o que dizem os principais coordenadores das campanhas de Dilma Rousseff (PT) e de José Serra (PSDB).
O presidente do PT, José Eduardo Dutra, que coordena a campanha petista, afirma que o encontro na última semana de campanha será importante para os candidatos reafirmarem suas propostas. Ao R7, Dutra disse esperar que os ânimos estejam acirrados por conta da reta final, mas afirmou acreditar em um debate de alto nível.
- É claro que em um debate entre dois candidatos há um acirramento natural, o que não acontece no primeiro turno, quando há mais candidatos. Mas vamos debater projetos e esperamos que o candidato da oposição vá por essa linha.

O senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), presidente do seu partido e principal coordenador da campanha de Serra, também disse acreditar em um encontro de alto nível e confia que o tucano pode reverter a desvantagem apontada nas pesquisas de intenção de voto.

- Nessa última semana as intenções de voto vão se movimentar e um dos fatores será o debate, com certeza.

Debate

O debate de segunda-feira será dividido em três blocos. Neles, Dilma e Serra poderão perguntar entre si sobre os temas que preferirem. Cada resposta dará direito a uma réplica do candidato que perguntou e uma tréplica do que respondeu.

Ao final do encontro, cada candidato terá direito a fazer suas considerações finais no tempo de dois minutos.

Matéria retirada integralmente do site sem adaptações: http://noticias.r7.com/eleicoes-2010/noticias/debate-da-tv-record-no-segundo-turno-sera-decisivo-afirmam-campanhas-20101025.html

COMENTÁRIO DO BLOGUEIRO: Depois de diversos ataques entre os dois candidatos e com menos de uma semana para a eleição o povo quer ver nos debates se FINALMENTE HAVERÁ PROPOSTAS SEM ATAQUES DE SERRA E DILMA ou se finalmente eles cairão, literalmente, na porrada (é o fato que está faltando acontecer nas eleições do segundo turno deste ano).
Ironias a parte e independentemente disto, a expectativa é grande e muitas pessoas irão acompanhar um dos debates que serão de extrema importância para o futuro do Brasil, depois do debate de hoje a Globo fará o seu bem próximo ao dia da eleição.
Antes que me esqueça, só um recadinho para Dilma e Serra, vamos parar de atacar um ao outro? Parte do povo até achou engraçado e tudo mais só que já passou do ponto, tem gente que vai votar agora naquele que menos atacar o outro (no meu ponto de vista Missão Impossível esta). Vamos ter o mínimo de respeito mútuo e com o povo né, até porque a população tem deixado de votar justamente por cansar de ver os candidatos falarem mal um do outro. Isto não é moralizar a política. Esta é minha opinião.

sábado, 23 de outubro de 2010

Pesquisas mostram queda de Marconi em Goiás

Duas pesquisas eleitorais divulgadas na noite de quarta-feira (20) mostram que o candidato do PSDB, senador Marconi Perillo, lidera as intenções de voto para governador em Goiás. Porém, os levantamentos indicam também que a diferença do tucano para o adversário Iris Rezende (PMDB) diminuiu um pouco, em relação à votação do primeiro turno, quando Marconi venceu Iris por 46,3% a 36,3%, abrindo uma frente de 10 pontos percentuais.
O Instituto Ibope, contratado pela TV Anhanguera, de Goiânia, ouviu 1.204 eleitores em todo o Estado, entre os dias 17 e 19 de outubro. No levantamento estimulado, Marconi Perillo teve 48% das intenções de voto, contra 44% de Iris Rezende. Ainda segundo a pesquisa, 5% dos eleitores ainda não definiram o voto para governador e 3% devem votar nulo ou em branco. A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Goiás (TRE-GO) sob o número 52095/2010.
Já a TV Goiânia contratou o Instituto Vox Populi para ouvir 1.200 eleitores em todo o Estado, entre os dias 16 e 18 de outubro. Neste levantamento, usando a metodologia estimulada, o candidato do PSDB, Marconi Perillo, também alcançou 48% das intenções de voto, contra 44% para Iris. Segundo o instituto, se a eleição fosse hoje, os votos brancos e nulos seriam 3% e os indecisos ou que não souberam responder somariam 4%. A margem de erro da pesquisa é de 2,8 pontos percentuais para mais ou para menos.
O Vox Populi também mediu os votos para presidente da República no Estado. A petista Dilma Rousseff aparece com 47% das intenções de voto, contra 45% para o candidato do PSDB, José Serra. Os votos brancos e nulos para presidente no Estado somam 4% e os indecisos e ou que não souberam responder, 3%. A pesquisa foi registrada no TSE sob o protocolo número 36.305/2010 e no TRE com o número 51.901/2010.

Matéria copiada do site: http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/noticias/0,,OI4746651-EI15314,00-GO+pesquisas+mostram+que+cai+diferenca+de+Marconi+sobre+Iris.html
Não houve adaptações na matéria.

No DF Agnelo lidera com 23 pontos de vantagem sobre Weslian, diz Datafolha

O candidato do PT ao governo do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, abriu 23 pontos de vantagem sobre a concorrente do PSC, Weslian Roriz, aponta pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira.

O petista soma 54% das intenções de voto, contra 31% de Weslian. No último levantamento do instituto, divulgado na semana passada, Agnelo tinha 53%, e a concorrente do PSC, 35%.

Considerando apenas os votos válidos - sem contar brancos, nulos e indecisos - Agnelo tem 64%, e Weslian, 36%.

O percentual dos que afirmaram votar em branco ou nulo é de 8%, e os indecisos são 7%. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

O instituto ouviu 1.115 eleitores entre 20 e 21 de outubro. A pesquisa está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 36537/2010.

Matéria retirada do site: http://www.band.com.br/jornalismo/eleicoes2010/conteudo.asp?ID=100000360176
Esta matéria não possui adaptações do blogueiro.

DATAFOLHA confirma pesquisa IBOPE: Dilma tem boa vantagem sobre Serra

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, estancou a queda que havia sofrido na pesquisa Datafolha realizada na semana passada e subiu três pontos percentuais, de acordo com levantamento do instituto divulgado nesta sexta-feira (22).

A petista tem agora 50% das intenções de voto e estaria eleita se o pleito fosse hoje. Em 10 de outubro, ela tinha 48% das intenções de voto, recuando para 47% em pesquisa divulgada no dia 15.

O presidenciável do PSDB, José Serra, que aparecia com 41% nas duas primeiras pesquisas do segundo turno, recuou um ponto percentual, aparecendo agora com 40%.

Na contagem dos votos válidos - excluindo votos brancos e nulos e os eleitores indecisos -, a petista tem uma diferença de 12 pontos sobre o tucano. Dilma subiu de 54% para 56%, enquanto Serra caiu de 46% para 44%.

A pesquisa foi divulgada da sexta (dia 22) e realizada no dia 21.
Foi realizada com 4.037 eleitores e sua margem de erro é de 2 pontos.

Matéria retirada do site: http://www.band.com.br/jornalismo/eleicoes2010/pesquisas-datafolha.asp?cnl=presidente
Esta matéria não possui adaptações do blogueiro e seu título não corresponde ao original.

SERPES: Marconi continua a frente de Íris mesmo com pequena oscilação negativa

O candidato do PSDB ao Governo de Goiás, Marconi Perillo, tem 51,7% das intenções de voto, segundo pesquisa do instituto Serpes divulgada neste sábado. O concorrente do PMDB, Iris Rezende, soma 41,8%.

O percentual dos que afirmaram votar em branco ou nulo é de 3,2%, e os indecisos são 3,3%. A margem de erro da pesquisa é de 3,1 pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Em relação à pesquisa anterior do instituto, publicada em 16 de outubro, a distância entre os candidatos caiu de 10,6 pontos percentuais para 9,9. Naquele levantamento, Marconi tinha 55,3%, e Iris, 44,7%.

O instituto ouviu 1.001 eleitores entre 19 e 22 de outubro. A pesquisa, encomendada pelo jornal “O Popular”, está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 36565/2010.

Matéria copiada do site: http://www.band.com.br/jornalismo/eleicoes2010/conteudo.asp?ID=100000360708
Este material não obteve adaptações do blogueiro.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Ibope indica empate técnico entre Marconi e Íris em Goiás

De acordo com a pesquisa Ibope/TV Anhanguera, realizada entre os dias 17 e 19, Marconi Perillo (PSDB) tem 48% das intenções de voto e Íris Rezende (PMDB) tem 44%. Como a margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos, há empate técnico entre os dois candidatos em Goiás.

A pesquisa ouviu 1.204 eleitores em municípios de Goiás, e foi registrada no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) sob o protocolo 36428/2010. Os votos brancos e nulos somaram 3%, e os eleitores indecisos 5%.

Analistas indicaram que o crescimento da campanha de Íris, que perdeu no primeiro turno, deve-se a dois fatores: O apoio do PDT ao PMDB e PT, definido pelo ministro do Trabalho Carlos Lupi, e a liberação de R$ 3,728 bilhões, pelo governo federal na semana passada, para salvar da falência a estatal Celg. Por fim, a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em comício de Dilma, em Goiânia, podem ajudar Íris Rezende e o PT.

Na pesquisa de votos válidos (quando excluídos brancos e nulos), Marconi tem 52% das intenções contra 48% de Íris Rezende. A margem de erro é de 3%, para cima ou para baixo.

FONTE: Portal R7
Matéria copiada do site: http://noticias.r7.com/eleicoes-2010/noticias/pesquisa-indica-empate-tecnico-entre-marconi-e-iris-em-goias-20101021.html

COMENTÁRIO DO BLOGUEIRO: A pesquisa foi divulgada no dia 21 de outubro e demonstra uma tendência de crescimento do candidato do PMDB em Goiás. Com isso, a eleição do segundo turno começa a esquentar pra valer restando apenas 10 dias para as eleições!

Pesquisa do segundo turno em Goiás mostra Marconi com leve queda

Pesquisa eleitoral estimulada divulgada na tarde desta quarta-feira (20) pela Rádio 730 AM, de Goiânia, e realizada pelo Instituto Grupom, mostra que o candidato do PSDB, senador Marconi Perillo, mantém a liderança das intenções de voto para governador em Goiás. O tucano alcançou 49,6% da preferência do eleitorado, contra 41,8% do candidato do PMDB, Iris Rezende.
Em relação à votação do primeiro turno, quando Marconi venceu Iris por 46,3% a 36,3%, abrindo uma frente de 10 pontos percentuais, a diferença entre os dois candidatos caiu, chegando a 7,8 pontos percentuais.
A pesquisa Rádio 730/Grupom, contratada pela emissora, foi realizada entre os dias 16 e 19 de outubro, e ouviu 1202 entrevistados em todo o estado. Ainda de acordo com o levantamento, 6,4% dos eleitores goianos ainda estão indecisos e 2,2% votariam em branco ou nulo, se a eleição fosse hoje. A margem de erro é de 2,8 pontos percentuais para mais ou para menos.
A pesquisa foi registrada em 15 de outubro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 36457/2010. Já no Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Goiás (TRE-GO) o registro foi sob o número 52134/2010, na mesma data.

FONTE: Portal Terra
Esta matéria foi copiada do site: http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/noticias/0,,OI4745328-EI15324,00-GO+pesquisa+mostra+Marconi+pontos+a+frente+de+Iris.html

COMENTÁRIO RÁPIDO DO BLOGUEIRO: Levando-se em consideração a pesquisa SERPES que mantinha o candidato tucano com 11,5% a frente de Íris. Nesta, do GRUPOM, o candidato caiu quase 3% em uma semana.

IBOPE: Dilma 56 x Serra 44

O Ibope divulgou nesta quarta-feira (20) uma nova pesquisa de intenção de voto para o segundo turno da eleição presidencial. Segundo o instituto, Dilma Rousseff (PT) venceria se a eleição fosse hoje. No levantamento, ela obteve 56% dos votos válidos, e José Serra (PSDB), 44%.
Como a margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, Dilma pode ter entre 54% e 58% e Serra, entre 42% e 46%. O critério de votos válidos exclui as intenções de voto em branco e nulo e os indecisos.
Na pesquisa anterior do Ibope, divulgada no último dia 13, Dilma aparecia com 53% dos votos válidos, e Serra com 47%.
A pesquisa ouviu 3.010 eleitores, de 18 a 20 de outubro. Encomendada pela TV Globo e pelo jornal "O Estado de S. Paulo", está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número de protocolo 36476/2010.

Votos totais
Pelo critério de votos totais (que incluem no cálculo brancos, nulos e indecisos), Dilma Rousseff soma 51% das intenções de voto, e José Serra, 40%.
De acordo com o Ibope, as intenções de voto em branco e nulos acumulam 5%. Os eleitores que disseram não saber em quem vão votar são 4%.
Nos votos totais da pesquisa anterior do Ibope, do último dia 13, Dilma tinha 49%, e Serra, 43%. Brancos e nulos eram 5%, e indecisos, 3%.

FONTE: Portal G1
Matéria retirada do site (com título adaptado): http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/10/ibope-mostra-dilma-com-56-dos-votos-validos-serra-com-44.html

Sensus dá menor vantagem para Dilma no segundo turno

Pesquisa Sensus divulgada na noite desta quarta (20) pelo site da Confederação Nacional do Transporte (CNT), que encomendou o levantamento, indica a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, com 52,8% dos votos válidos e o candidato do PSDB, José Serra, com 47,2%. Os votos válidos excluem brancos, nulos e indecisos.
Pelo critério de votos totais (que incluem brancos, nulos e indecisos), Dilma tem 46,8% e Serra, 41,8%. Brancos e nulos são 4,1%, segundo o instituto Sensus. Os que não sabem em quem votar e os que não responderam somam 7,2%.
A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais para mais ou menos.
O instituto fez 2 mil entrevistas nos dias 18 e 19 de outubro em 136 municípios de 24 estados. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo 36.192/2010.
Na primeira pesquisa a candidata pesquisa estaria tecnicamente empatada com o presidenciável do PSDB. Nesta pesquisa, Dilma consegue uma pequena vantagem e sai do empate técnico..

FONTE: Site G1
Matéria retirada e adaptada do site: http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/10/sensus-mostra-dilma-com-528-e-serra-com-472-dos-votos-validos.html

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Vox Populi: Dilma tem 12 pontos de vantagem para Serra

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, tem 51 por cento das intenções de voto, contra 39 por cento de seu adversário, José Serra (PSDB), segundo pesquisa Vox Populi divulgada nesta terça-feira pelo portal IG.

De acordo com o Vox Populi, 4 por cento dos entrevistados se declararam indecisos.

Na pesquisa anterior do instituto, realizada nos dias 10 e 11 de outubro, Dilma tinha 48 por cento, contra 40 por cento de Serra. Os indecisos somavam 6 por cento.

Se considerados somente os votos válidos --que excluem os brancos, nulos e indecisos-- Dilma tem 57 por cento, contra 43 por cento de Serra. Na sondagem anterior, a petista aparecia com 54 por cento dos válidos, ante 46 por cento do tucano.

O levantamento do Vox Populi analisou ainda o voto religioso. Conforme o instituto, Serra tem 44 por cento das intenções de voto entre o eleitorado evangélico, ante 42 por cento de Dilma. Entre os entrevistados que se declararam ateus, Dilma tem 49 por cento, ante 36 por cento de Serra.

Dilma também aparece à frente de Serra entre os eleitores que se disseram católicos praticantes (54 contra 37 por cento) e não praticantes (55 contra 37 por cento).

O voto religioso foi apontado como um dos fatores que impediram a vitória de Dilma já no primeiro turno da eleição presidencial em 3 de outubro.

Segundo o Vox Populi, 89 por cento dos entrevistados declararam estarem decididos sobre em quem votarão no dia 31 de outubro, enquanto 9 por cento afirmaram que ainda podem trocar de candidato. A consolidação é maior entre os eleitores de Dilma, 93 por cento, enquanto entre os de Serra 89 por cento estão decididos.

A pesquisa, realizada entre os dias 15 e 17 de outubro, tem margem de erro de 1,8 ponto percentual para mais ou para menos. O instituto ouviu 3 mil pessoas para o levantamento.

Esta matéria foi retirada do site: MSN Notícias
Esta matéria foi copiada do site: http://especiais.br.msn.com/noticias/eleicoes-2010/artigo.aspx?cp-documentid=25998828

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Coligação de Íris contesta pesquisa eleitoral no TRE

A coligação "Goiás Rumo ao Futuro", encabeçada pelo candidato do PMDB ao governo de Goiás, Iris Rezende, entrou, neste sábado (16), junto ao Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) com representação contra o Instituto Serpes. O instituto de pesquisa divulgou hoje um levantamento eleitoral de intenções de voto para governador no Jornal O Popular, de Goiânia, que mostrou o adversário de Iris, o candidato ao governo pelo PSDB, Marconi Perillo (PSDB), com 52,9% dos votos, contra 41,4% do peemedebista.
Mas, segundo o advogado da coligação, Marconi Pimenteira, a pesquisa divulgada desrespeitou a lei eleitoral, ao não definir os municípios e bairros pesquisados. "Trata-se da infração ao artigo 33 da lei 9.504, pela ausência de indicação dos municípios pesquisados e seus bairros no registro feito", explica Pimenteira.
Na representação, a coligação irista ainda levanta a suspeita de vazamento antecipado das informações da pesquisa na internet, em blogs que teriam noticiado os dados antes de sua divulgação. O PMDB ainda argumenta que o Serpes já foi contratado e faz, sistematicamente, pesquisas para Perillo e sua coligação, a "Goiás Quer Mais". Na representação contra o Serpes, o advogado Pimenteira pede a suspensão imediata da divulgação dos números, a aplicação de multa - que pode chegar a R$ 106 mil - e a investigação criteriosa das alegadas irregularidades.

FONTE: Portal Terra
Material retirado do site: http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/noticias/0,,OI4738774-EI15324,00-GO+coligacao+de+Iris+Rezende+contesta+pesquisa+no+TRE.html
O blogueiro adaptou o título da manchete.

Marina Silva e PV não irão apoiar nem Dilma e nem Serra

A senadora Marina Silva e Partido Verde anunciaram neste domingo posição de "independência" em relação à disputa do segundo turno da eleição presidencial entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB).
No primeiro turno, Marina, candidata a presidente pelo PV, obteve 19,6 milhões de votos, quase 20% dos votos válidos. O apoio dela e do PV era cobiçado por Dilma e por Serra, que enviaram cartas à senadora destacando afinidades entre pontos dos planos de governo.
Durante a reunião plenária do PV neste domingo em São Paulo que decidiu pela 'independência', Marina leu uma carta aberta a Dilma e Serra, em que afirma que essa é posição que melhor pode contribuir para o processo eleitoral.
"Quero afirmar que o fato de não ter optado por uma alinhamento neste momento não significa neutralidade em relação aos rumos da campanha. Creio mesmo que uma posição de independência, reafirmando ideías e propostas, é a melhor forma de contribuir com o povo brasileiro", diz a carta lida pela candidata.
Em discurso, a ex-presidenciável fez críticas ao que chamou de uma "dualidade destrutiva" entre PT e PSDB, comparada por ela às oposições entre MDB e Arena no regime militar e a republicanos e monarquistas no período imperial.
A posição defendida por Marina Silva foi a mesma de várias lideranças do PV que discursaram antes dela na reunião plenária, como o ex-candidato a vice pelo PV, Guilherme Leal, o vice-presidente do partido e deputado eleito, Alfredo Sirkis, o ex-candidato ao Senado Ricardo Young e o deputado Zequinha Sarney. Candidato derrotado ao governo do Rio que teve o apoio do PSDB no primeiro turno, Fernando Gabeira preferiu não declarar opção em sua fala.
De acordo com o presidente nacional do PV, José Luiz Penna, dos 92 votantes na plenária, quatro não votaram pela posição de "independência". A votação, segundo o partido, contou com delegados do PV e 15 representantes da sociedade, sem filiação partidária.
Durante entrevista coletiva após a reunião, Marina Silva reafirmou que a "independência" aprovada pela plenária não é neutralidade e que, "como cidadão", o militante do partido poderá manifestar no segundo turno a posição pessoal em favor de um ou de outro candidato, desde que não utilize símbolos do partido.
Indagada em quem votará no segundo turno, Marina Silva preferiu não revelar. "O voto é secreto e para manter a minha independência no processo político, eu vou reservar esse direito de eleitora que eu tenho", declarou.
O vice-presidente do PV, deputado federal eleito Alfredo Sirkis, disse que o militante terá "toda a liberdade" de aparecer em programas de TV, subir em palanques e fazer declaração de voto, mas sem atribuir a si mesmo a qualificação partidária de integrante do PV. "É uma posição de cidadão, enquanto eleitor", afirmou.
Sirkis disse que o PV espera dos dois candidatos um "nível elevado" na campanha do segundo turno. Ele classificou a campanha, no estágio atual, como "muito agressiva de parte a parte e com temas que acabam criando uma regressão cultural na sociedade". "A forma como eles se atacam representa um retrocesso", declarou.
Cargos
Marina Silva negou que setores do partido pretendessem obter cargos no futuro governo e rejeitou a hipótese de aceitar algum cargo, caso seja convidada pelo vencedor da eleição.
A senadora disse considerar já ter dado a sua contribuição durante mais de cinco anos como ministra do Meio Ambiente do governo Lula e em 16 anos no Senado. "Não é apenas estando no governo que a gente pode contribuir com a sociedade e com os governos. Às vezes a gente até contribui mais quando está fora dele", disse.
Marina também disse não se considerar responsável por uma eventual derrota do PT e da candidata Dilma Rousseff ao ter sido apontada como responsável por levar a eleição para o segundo turno.
A ex-candidata citou a fundação do PT pelo presidente Lula na década de 80 quando, segundo afirmou, ele foi acusado de ajudar a ditadura por "dividir as esquerdas".
"Hoje, isso tudo se revela um equívoco. Porque se não tivéssemos criado a alternativia que se revelou o PT para a democracia brasileira, com certeza não seria só um atraso na política, mas teria implodido todo o PMDB, que depois deu origem ao PSDB", disse.

FONTE: Portal G1
Matéria retirada do site: http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/10/marina-e-pv-anunciam-independencia-no-segundo-turno.html
O blogueiro adaptou o título da manchete.

sábado, 16 de outubro de 2010

Datafolha: Dilma continua líder e mantém vantagem sobre Serra

O Datafolha divulgou na noite desta sexta-feira (15) mais uma pesquisa de intenção de voto para a Presidência da República. Na média nacional, segundo o levantamento, a candidata petista Dilma Rousseff tem 54% dos votos válidos (que excluem brancos, nulos e indecisos), contra 46% do tucano José Serra. Nos votos totais (que contam brancos, nulos e indecisos), a petista tem 47%, e o tucano, 41%.
Além dos números gerais, o Datafolha também calculou o percentual alcançado pelos candidatos em segmentos do eleitorado como sexo e nas regiões do país. O quadro ao lado mostra as intenções de voto totais (que não incluem brancos, nulos e indecisos) de Dilma e Serra apuradas pelo instituto.
Eleitorado masculino e feminino
Entre os homens, Dilma aparece com 51% das intenções dos votos totais, contra 39% de Serra. Já entre as mulheres, Dilma e Serra têm, individualmente, 43% das intenções.

Por região
No Norte/Centro-Oeste, Dilma foi de 44%, apurados no levantamento de 10 de outubro, para 45%, e Serra manteve os 46% da pesquisa anterior.
No Sudeste, Dilma foi de 41% para 43%, enquanto Serra se manteve em 44%.
No Sul, Dilma foi de 43% para 40%; novamente, Serra manteve o índice anterior, de 48%, de acordo com o Datafolha.
No Nordeste, Dilma passou de 62% para 60%; Serra foi de 31% para 30%.

Sobre a pesquisa
Para o levantamento divulgado nesta sexta-feira, o Datafolha fez 3.281 entrevistas na quinta-feira (14) e na sexta-feira (15). A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
Segundo o instituto, a candidata do PT, Dilma Rousseff, tem 54% dos votos válidos (que excluem brancos, nulos e indecisos), e o candidato do PSDB, José Serra, 46%. Pela margem de erro, Dilma pode ter de 52% a 56%, e Serra, de 44% a 48%.
Considerando-se os votos totais (que incluem brancos, nulos e indecisos), a petista tem 47%, e o tucano, 41%. Brancos e nulos somam 4%, e 8% disseram não saber em quem votar.
Na pesquisa anterior, Dilma registrou 48%, e Serra, 41%. Brancos e nulos somaram 4%, e indecisos, 7%.
A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo” e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número 35746/2010.

FONTE: Site da Globo.com
Matéria copiada do site: http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/10/veja-intencoes-de-voto-presidencia-por-sexo-e-regiao-segundo-datafolha01.html
Matéria publicada dia 16 de outubro.
Esta matéria não possui adaptações do blogueiro.

Serpes aponta Marconi Perillo e Serra liderando em Goiás

Uma pesquisa estimulada realizada pelo Instituto Serpes, publicada neste sábado (16), mostra o candidato do PSDB ao governo de Goiás, senador Marconi Perillo, à frente do seu adversário, Iris Rezende, que concorre pelo PMDB.
O candidato tucano alcançou 52,9% das intenções de voto, contra 41,4% de Iris, o que representa uma vantagem de 11,5 pontos percentuais. No primeiro turno, Marconi obteve 46,3% dos votos e Iris, 36,3%. Segundo o levantamento, 3,5% dos eleitores goianos estão indecisos enquanto votos brancos e nulos somam 2,2%. A margem de erro é de 3,1 pontos percentuais.
Já na corrida presidencial, o instituto mostra que o candidato do PSDB, José Serra, passou a sua adversária Dilma Rousseff (PT) em Goiás. Serra tem 50% das intenções de voto, contra 43,1% de Dilma, uma diferença de 6,9 pontos percentuais. No primeiro turno, Dilma teve 42,2% dos votos no Estado e Serra 39,4%. A pesquisa também mostrou que, na escolha do próximo presidente da República, 3,5% dos eleitores estão indecisos e 3,4% votariam em branco ou nulo se a eleição fosse hoje.
Encomendada pelo jornal O Popular, a pesquisa foi realizada entre os dias 11 e 15 de outubro, com 1001 entrevistados, e registrada no Tribunal Regional Eleitoral de Goiás sob o número 51.101/2010 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o número 35.764/2010.

Fonte: Portal "Terra"
Matéria copiada do site: http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/noticias/0,,OI4738107-EI15315,00-Marconi+e+Serra+lideram+em+Goias+segundo+pesquisa.html
Esta matéria não possui adaptações
Matéria publicada no dia 16 no site Terra.

Vanderlan e Ernesto apoiarão Íris no segundo turno

Durante evento em Goiânia nesta quinta-feira (14), o atual governador goiano, Alcides Rodrigues (PP), acompanhado pelo ex-candidato Vanderlan Cardoso (PR) e seu grupo político, declarou apoio ao candidato do PMDB ao governo, Iris Rezende. O peemedebista disputa o segundo turno eleitoral contra Marconi Perillo (PSDB).
Com a aliança, os partidos que apoiam o presidente Lula em Goiás se unem, após terem disputado o primeiro turno com duas candidaturas, a de Vanderlan e a de Iris. O ex-candidato do PR ficou em terceiro lugar nas urnas, conquistando cerca de 16% dos votos.
Após apoiar a candidatura de Vanderlan no primeiro turno, Alcides explicou que a decisão só veio após uma conversa que teve com oito dos nove partidos que apoiaram a coligação do ex-candidato do PR: PSC, PSDC, PTN, PRP, PDT, PP e o próprio PR. O PSB, posteriormente, firmou apoio à chapa de Íris sendo o oitavo partido.
Para Alcides, nem a falta de afinidade histórica entre seu partido PP e o PMDB foi considerado um obstáculo no surgimento da nova aliança. "No Brasil, nós temos momentos decisivos e históricos, onde os partidos ficam em segundo plano. É o que ocorre aqui neste momento em Goiás", disse. "Neste momento, nós estamos com aquele que é o melhor candidato para Goiás, com sua experiência, com zelo pela coisa pública".
O atual governador afirmou que todo o grupo político da aliança com Iris vai percorrer o estado pedindo votos para o peemedebista. "Não vou ficar em cima do muro, assim como Vanderlan também não", reforçou.
Iris Rezende, por sua vez, ressaltou a importância dos novos apoios. "É o momento alto da campanha", qualificou. "Tudo isto representa um reforço extraordinário neste projeto. Estou certo de que, aqui e agora, já partimos para a consolidação de uma das históricas vitórias de Goiás no próximo dia 31 de outubro".
O candidato do PMDB afirmou que o presidente Lula foi peça importante na composição da frente de partidos que o apoiam neste segundo turno. "Todo mundo contribuiu. O presidente Lula, trazendo tranquilidade ao governo de Goiás na solução de um problema que se arrastava há muito tempo", disse, se referindo à negociação de um empréstimo da Companhia Energética de Goiás (Celg).
Em um momento de aproximação com o Estado, o governo federal autorizou na quarta-feira (13) um empréstimo de R$ 3,7 bilhões da Caixa Econômica Federal para Goiás sanar as dívidas da Celg. Segundo Alcides, a negociação da coligação não teve componente político. "Conversamos sobre a Celg. O assunto político não foi tocado, mas nós sabemos da simpatia que o presidente tem pela candidatura de Iris", disse.
Segundo Iris, o interesse demonstrado por Lula por Goiás deu ao presidente "condições de pedir com mais ênfase ainda a nossa eleição para governador".
Apesar da formalização da coligação, uma parte do grupo que apoiou Vanderlan no primeiro turno garantiu apoio ao adversário tucano Marconi Perillo. O candidato do PSDB recebeu na quarta a adesão do vice-governador, Ademir Menezes (PR), que tem militância forte na cidade Aparecida de Goiânia, administrada pelo ex-governador de Goiás, Maguito Vilela (PMDB). Além disso, Perillo já contava com o apoio, desde o último sábado (9), de Abelardo Vaz (PP), coordenador político da campanha do ex-candidato.

Fonte: Porta "Terra"
Matéria copiada do site: http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/noticias/0,,OI4735283-EI15324,00-GO+Alcides+e+Iris+consolidam+frente+lulista+no+turno.html
Matéria adaptada pelo blogueiro.

Datafolha: Segundo turno no DF: Agnelo lidera pesquisa

Primeira pesquisa de intenção de voto no segundo turno do Distrito Federal, mostra que Agnelo (PT) tem 50% das intenções de voto, contra 36% de Weslian Roriz (PSC). Votos brancos e nulos somam 8%, e 6% estão indecisos.
Dos votos válidos, aqueles onde se excluem os votos brancos, nulos e indecisos, o petista tem 58%, ante 42% de Roriz.
Para calcular os votos válidos, o Datafolha exclui da amostra o percentual de votos brancos, nulos e os eleitores indecisos, procedimento este que é adotado pelo Tribunal Superior Eleitoral na divulgação dos resultados oficiais, em que são excluídos os percentuais de voto em branco, os nulos e as abstenções.
Agnelo superou Roriz no primeiro turno da eleição por uma diferença superior a 13 pontos: 48,41% a 31,5% dos votos válidos.
O Datafolha entrevistou 1.120 eleitores nos dias 07 e 08 de outubro no Distrito Federal. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.
Agnelo consegue atrair mais eleitores do terceiro colocado no primeiro turno do que Weslian Roriz. Entre os que declaram ter votado em Toninho do PSOL, terceiro colocado no primeiro turno (teve 14,25% dos válidos), 45% dizem que pretendem votar em Agnelo na segunda votação. Apenas 19% desses eleitores afirmam que vão votar em Weslian Roriz e 24% afirmam que pretendem votar em branco ou anular o voto.
A maioria (86%) do eleitorado se diz que o voto está totalmente decidido, outros 11% afirmam que o voto ainda pode mudar. Entre os eleitores de Agnelo 90% estão totalmente decididos, 8% afirmam que o voto ainda pode mudar. Os que pretendem votar em Weslian Roriz, 86% estão totalmente decididos e 13% dizem que o voto ainda pode mudar.
Dos eleitores que não declaram voto em Agnelo, 4% afirmam que votariam com certeza no petista, 20% dizem que talvez votariam e 63% afirmam que não votariam de jeito nenhum em Agnelo. Já entre os eleitores que não declaram voto em Roriz, 3% mencionam que votariam com certeza em Weslian, 14% que talvez votariam e 74% afirmam que não votariam de jeito nenhum na candidata.
Agnelo tem melhor desempenho entre os eleitores mais jovens (54%), entre os que têm mais de 35 a 44 anos (53%) entre os mais escolarizados (65%), entre os mais ricos (65%).
Já Weslian Roriz tem destaque entre os eleitores mais velhos (47%), entre os menos escolarizados (48%) e entre os que declaram renda familiar de até dois salários mínimos (46%).
O Datafolha verificou se os eleitores têm conhecimentos a respeito do número do seu candidato, e 77% mencionam corretamente o número, 16% não sabem o número do seu candidato. Dos eleitores de Agnelo, 79% sabem que número digitar na urna eletrônica para votar no candidato, entre os eleitores de Weslian Roriz, esse percentual é de 83%.
Também foi perguntado aos eleitores sobre o conhecimento da desistência do candidato Joaquim Roriz ao governo do Distrito Federal e o lançamento da candidatura de sua esposa, Weslian Roriz, em seu lugar, 96% dos entrevistados afirmam que tomaram conhecimento do assunto, destes 71% se dizem bem informados, 22% mais ou menos informados e 3% estão mal informados. Apenas 4% dos eleitores do Distrito Federal não tomaram conhecimento da desistência de Joaquim Roriz e da indicação de Weslian.


FONTE: Site do DATAFOLHA
Data da pesquisa: 11 de outubro.
Matéria copiada do site: http://datafolha.folha.uol.com.br/po/ver_po.php?session=1103
Este conteúdo não tem adaptações do blogueiro.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Candidatos tem semana decisiva em Goiás

Lideranças do PMDB e do PSDB têm uma semana decisiva para definir as adesões de prefeitos e partidos políticos que podem mudar o rumo da disputa, no segundo turno, pelo governo de Goiás, entre os candidatos Marconi Perillo (PSDB) e Iris Rezende (PMDB).

O PSDB saiu na frente, na corrida para conquistar o apoio do PP e do PR. Os dois partidos apoiaram Vanderlan Cardoso (PP), no primeiro turno. Mas, às vésperas do horário eleitoral, seus prefeitos estão aderindo em bloco aos tucanos, indiferentes à decisão da cúpula de apoiar o PMDB.

"Não tenho razões para apoiar o PMDB e o Iris Rezende", disse o prefeito de Inhumas, Abelardo Vaz (PP), de Inhumas, uma das sete cidades em que Vanderlan venceu.

A decisão do prefeito, influenciada pelo deputado federal Roberto Balestra (PP), que também aderiu, provocou uma reação em cadeia. Um grupo de 23 prefeitos, vinculados ao PP e o PR também optaram pela mudança.

As adesões geraram expectativas negativas na campanha do PMDB, que é apoiada pelo PT. Porque, no começo da disputa, achava-se que seria fácil derrotar os tucanos e Perillo.

Primeiro, pela liderança da candidata petista Dilma Rousseff, e o desempenho do presidente Lula nas pesquisas. Depois, era voz corrente pregar a derrota da oposição: "O Marconi tem que perder, para ficar um político humilde", era o tom nos bastidores, revelado por um assessor da confiança de Iris.

POR RUBENS SANTOS DO SITE "ESTADÃO.COM.BR"
TEXTO COPIADO NA ÍNTEGRA SEM ADAPTAÇÕES.
FONTE DA MATÉRIA http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,candidatos-tem-semana-decisiva-em-goias,623281,0.htm

Íris e Marconi mudam marqueteiros e estratégia

Ataques contra tucano devem aumentar, após escolha de marqueteiro de republicano pelo peemedebista

Além das trocas no comando de marketing das campanhas, Iris Rezende (PMDB) e Marconi Perillo (PSDB) começam a definir novas estratégias para a reta final das eleições para governador por Goiás.

Marconi dispensou Adriano Gehres e convocou Paulo de Tarso, que trabalhou na campanha de 2002 do tucano.

Iris Rezende também substituiu Hamilton Carneiro e chamou Jorcelino Braga (PP), que trabalhou na campanha de Vanderlan Cardoso (PR), no primeiro turno.

A convocação de Braga, além de selar o apoio de Vanderlan a Iris no segundo turno, ainda indica que a campanha do peemedebista terá um tom mais agressivo contra Marconi.

Jorcelino Braga é mais um desafeto do tucano. Foi ele quem anunciou que Marconi teria deixado déficit nas contas do Estado, em 2007, quando era secretário da Fazenda de Alcides Rodrigues (PP).

Braga e o candidato do PSDB também chegaram a trocar farpas pela imprensa, o que levou Marconi a protocolar ação na Justiça, em janeiro deste ano.

Além de adquirir um tom mais crítico, o programa do peemedebista muda de foco com o afastamento de Hamilton Carneiro.

Hamilton foi criticado dentro do próprio PMDB por não fazer um programa com linguagem mais jovem e acessível.

Já para Marconi, as mudanças no programa envolvem reforço no tom emotivo e mais conteúdo político, sem enfrentamentos.

Ainda assim, as mudanças maiores devem ocorrer nos programas de Iris Rezende, já que ele chegou ao segundo turno atrás de Marconi.

As eleições de 3 de outubro deram 46% dos votos ao tucano e 36% dos votos ao peemedebista.

ESCRITO POR RODRIGO VIANA do IG GOIÂNIA
TÍTULO ALTERADO PELO BLOGUEIRO
FONTE DA MATÉRIA: SITE DA RÁDIO FELIZ - http://www.radiofeliz.com.br/site/09/10/2010/iris-deve-%E2%80%98bater%E2%80%99-em-marconi-como-vanderlan/

sábado, 9 de outubro de 2010

Dilma lidera primeira pesquisa de segundo turno com pequena folga

Pesquisa Datafolha divulgada na edição de domingo, 10, do jornal 'Folha de S.Paulo' aponta a candidata do PT à Presidência da República com 48% das intenções de votos contra 41% de José Serra (PSDB). Em número de votos válidos (sem brancos, nulos e indecisos), Dilma tem 54% contra 46% de Serra. 4% dos eleitores afirmaram que irão votar em branco ou nulo e outros 7% estão indecisos.

Na pesquisa anterior, realizada entre os dias 1º e 2 de outubro, o instituto havia feito uma simulação para o segundo turno. Dilma aparecia com 52% dos votos totais contra 40% de Serra. 5% afirmaram que votariam em branco ou nulo e 3% estavam indecisos.

Herança de Marina

O Datafolha questionou também os eleitores de Marina Silva (PV), que teve quase 20 milhões de votos no primeiro turno, sobre a intenção de voto no segundo turno. 51% dos que votaram em Marina no primeiro turno declararam voto em Serra. Dila herda 22% dos votos de Marina. Na pesquisa anterior, a petista tinha 31% dos votos da candidata verde. Serra tinha 50% às vésperas do primeiro turno. O número de indecisos entre os verdes teve um aumento considerável, passando de 4% no primeiro turno para 18%.

Estratificação

Na divisão por região, Dilma aparece com ampla vantagem no Nordeste, onde registra 62% das intenções de voto, contra 31% de Serra. No Sudeste, há empate técnico (situação em que a diferença entre os candidatos está dentro da margem de erro): o tucano registra 44% contra 41% da petista. No Norte/Centro-Oeste, o cenário também é de empate técnico: Serra tem 46% e Dilma, 44%. A região Sul é a única onde Serra lidera fora da margem de erro: 48% a 43%.

Na segmentação por renda, Dilma lidera por 52% a 37% entre quem ganha até 2 salários mínimos e por 47% a 41% entre quem ganha de 2 a 5 salários mínimos. Já Serra obtém 48% contra 40% entre a população que ganha de 5 a 10 salários mínimos e 58% contra 33% entre quem ganha mais de 10 salários mínimos.

Dilma lidera entre os homens, por 52% a 39%. Entre as mulheres, empate técnico: 43% para a petista contra 44% de Serra. Na segmentação por escolaridade, Dilma lidera entre quem tem o ensino fundamental, com 54%, contra 36%. Entre os eleitores que têm o ensino médio, outro empate técnico: 44% para Dilma, 45% para Serra. O tucano lidera com 50% das intenções de voto entre eleitores com curso superior, contra 36% de Dilma.

A pesquisa foi encomendada pelo jornal e pela Rede Globo. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. O levantamento foi realizado na sexta-feira, 8, com 3.265 eleitores em 201 municípios e está registrado no TSE com o número 35114/2010.

Fonte: http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/artigo.aspx?cp-documentid=25889092

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

TSE julgou 38% dos casos ficha suja

Levantamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgado nesta quinta-feira (7) mostra que, desde agosto, foram julgados 38% dos 177 recursos contra decisões dos tribunais regionais, que negaram ou concederam registros de candidatura com base na Lei da Ficha Limpa. A norma veta candidatura de político condenados em decisões colegiadas e que renunciaram a mandato eletivo para escapar de cassação.
Ao todo foram analisados 68 processos de candidatos barrados pela lei, dos quais 32 tiveram o registro negado. Segundo a assessoria do TSE, mesmo depois do primeiro turno das eleições, realizado no último domingo (3), o tribunal continua recebendo recursos.
A expectativa é que a partir de agora os julgamentos de processos que tratam da ficha limpa sejam mais rápidos, porque os ministros já definiram posição sobre a maioria das condições de inelegibilidade previstas na lei.
Como trata a norma trata de matéria constitucional, muitos recursos julgados no TSE estão sendo questionados no Supremo Tribunal Federal (STF), que vai definir se candidatos barrados pela Justiça Eleitoral, mas eleitos pelo voto popular, poderão assumir os cargos.
É o caso do deputado federal Jader Barbalho (PMDB-PA), que teve a candidatura questionada porque renunciou ao mandato de senador, em 2001, para evitar um processo de cassação. O recurso dele chegou nesta quinta-feira (8) ao STF e tem como relator o ministro Joaquim Barbosa.
O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) liberou o registro de Jader, mas a Procuradoria Eleitoral recorreu ao TSE, que barrou o candidato com base na ficha limpa. Mesmo com registro indeferido, nas eleições do último domingo (3), Jader Barbalho recebeu 1.799.762 de votos e, caso não estivesse barrado, seria eleito em segundo lugar.

FONTE: http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/10/tse-ja-julgou-38-dos-casos-de-candidatos-barrados-pela-ficha-limpa.html

Lista dos 513 deputados federais eleitos no Brasil

Foram definidos nesta segunda-feira (4), após a apuração de todas as urnas no país, os 513 deputados federais eleitos para a próxima legislatura de quatro anos. Veja quem são:
AC
Marcio Bittar (PSDB)
Flaviano Melo (PMDB)
Perpétua Almeida (PC do B)
Gladson Cameli (PP)
Sibá Machado (PT)
Henrique Afonso (PV)
Taumaturgo (PT)
Antonia Lucia (PSC)
AL
Renan Filho (PMDB)
Célia Rocha (PTB)
Rui Palmeira (PSDB)
João Lyra (PTB)
Givaldo Carimbão (PSB)
Rosinha da Adefal (PT do B)
Arthur Lyra (PP)
Joaquim Beltrão (PMDB)
Maurício Quintella Lessa (PR)
AM
Praciano (PT)
Rebecca Garcia (PP)
Átila Lins (PMDB)
Silas Camara (PSC)
Carlos Souza (PP)
Pauderney (DEM)
Sabino Castelo Branco (PTB)
Henrique Oliveira (PR)
AP
Vinicius (PRTB)
Professora Dalva (PT)
Professora Marcivania (PT)
Davi Alcolumbre (PRB)
Fatima Pelaes (PMDB)
Evandro Milhomem (PC do B)
Bala Rocha (PDT)
Luiz Carlos (PSDB)
BA
ACM Neto (DEM)
Lucio Vieira Lima (PMDB)
Rui Costa (PT)
João Leão (PP)
Pelegrino (PT)
Mário Negromonte (PP)
Márcio Marinho (PRB)
Felix Jr (PDT)
Afonso (PT)
Daniel Almeida (PC DO B)
Valmir Assunção (PT)
Antonio Imbassahy (PSDB)
Jutahy Magalhães Júnior (PSDB)
Zézeu (PT)
Edson Pimenta (PC DO B)
Alice Portugal (PC do B)
Waldenor (PT)
Oziel Oliveira (PDT)
Fernando Torres (DEM)
Mauricio Trindade (PR)
Geraldo Simões (PT)
João Bacelar (PR)
Arthur Maia (PMDB)
José Rocha (PR)
Claudio Cajado (DEM)
Sérgio Brito (PSC)
José Nunes (DEM)
Antonio Brito (PTB)
Erivelton Santana (PSC)
Josias Gomes (PT)
Jose Carlos Araujo (PDT)
Marcos Medrado (PDT)
Luiz Argôlo (PP)
Fabio Souto (DEM)
Roberto Britto (PP)
Amauri Teixeira (PT)
Luiz Alberto (PT)
Paulo Magalhães (DEM)
Jânio Natal (PRP)
CE
Domingos Neto (PSB)
Guimarães (PT)
Genecias (PMDB)
Anibal (PMDB)
Edson Silva (PSB)
Artur Bruno (PT)
Joao Ananias (PC do B)
Raimundão (PMDB)
André Figueiredo (PDT)
Mauro Benevides (PMDB)
Arnon Bezerra (PTB)
José Airton (PT)
Danilo Forte (PMDB)
Gorete Pereira (PR)
Vicente Arruda (PR)
Eudes Xavier (PT)
Chico Lopes (PC do B)
Padre Ze (PP)
Ariosto Holanda (PSB)
Balman (PSB)
Raimundo Matos (PSDB)
Mario Feitoza (PMDB)
DF
Reguffe (PDT)
Paulo Tadeu (PT)
Jaqueline Roriz (PMN)
Izalci (PP)
Magela (PT)
Erika Kokay (PT)
Ronaldo Fonseca (PP)
Luiz Pitiman (PMDB)
ES
Audifax (PSB)
Sueli Vidigal (PDT)
Lelo Coimbra (PMDB)
Paulo Foletto (PSB)
Rose de Freitas (PMDB)
Cesar Colnago (PSDB)
Iriny Lopes (PT)
Lauriete (PSC)
Dr. Jorge Silva (PDT)
Manato (PDT)
GO
Dona Iris (PMDB)
Rubens Otoni (PT)
Ronaldo Caiado (DEM)
Flávia Morais (PDT)
Sandro Mabel (PR)
Jovair Arantes (PTB)
João Campos (PSDB)
Armando Vergílio (PMN)
Leandro Vilela (PMDB)
Carlos Alberto Lereia (PSDB)
Roberto Balestra (PP)
Pedro Chaves (PMDB)
Leonardo Vilela (PSDB)
Thiago Peixoto (PMDB)
Sandes Junior (PP)
Vilmar Rocha (DEM)
Heuler Cruvinel (DEM)
MA
Gastão Vieira (PMDB)
Sarney Filho (PV)
Cleber Verde (PRB)
Luciano Moreira (PMDB)
Pedro Fernandes (PTB)
Waldir Maranhão (PP)
Edivaldo Holanda Junior (PTC)
Nice Lobão (DEM)
Alberto Filho (PMDB)
Pedro Novais (PMDB)
Professor Sétimo (PMDB)
Dutra (PT)
Pinto Itamaraty (PSDB)
Carlos Brandão (PSDB)
Zé Vieira (PR)
Ribamar Alves (PSB)
Hélio Santos (PSDB)
Lourival Mendes (PT do B)
MG
Rodrigo de Castro (PSDB)
Lael Varella (DEM)
Weliton Prado (PT)
Eros Biondini (PTB)
Alexandre Silveira (PPS)
Gilmar Machado (PT)
Jaiminho Martins (PR)
Toninho Pinheiro(PP)
Reginaldo Lopes (PT)
Odair Cunha (PT)
Marcus Pestana (PSDB)
Dimas Fabiano (PP)
Domingos Sávio (PSDB)
Leonardo Quintão (PMDB)
Newton Cardoso (PMDB)
Gabriel Guimarães (PT)
Carlaile Pedrosa (PSDB)
Marcio Reinaldo (PP)
Eduardo Azeredo (PSDB)
Eduardo Barbosa (PSDB)
Bernardo Santana (PR)
Antônio Andrade (PMDB)
Bilac Pinto (PR)
Miguel Correa (PT)
Padre Joao (PT)
Zé Silva (PDT)
Lincoln Portela (PR)
Aelton Freitas (PR)
Jô Moraes (PC do B)
Paulo Abi Ackel (PSDB)
Luiz Fernando (PP)
Renzo Braz (PP)
João Magalhães (PMDB)
Narcio (PSDB)
Mario de Oliveira (PSC)
Carlos Melles (DEM)
Fabinho Ramalho (PV)
Marcos Montes (DEM)
Mauro Lopes (PMDB)
George Hilton(PRB)
Paulo Piau (PMDB)
Saraiva Felipe (PMDB)
Diego Andrade (PR)
Antônio Roberto (PV)
Geraldo Thadeu (PPS)
Walter Tosta (PMN)
Leonardo Monteiro (PT)
Aracely de Paula (PR)
Ademir Camilo (PDT)
Julio Delgado (PSB)
Luis Tibe (PT do B)
Jose Humberto (PHS)
Dr. Grilo (PSL)
MS
Giroto (PR)
Reinaldo Azambuja (PSDB)
Vander (PT)
Fabio Trad (PMDB)
Geraldo Resende (PMDB)
Mandetta (DEM)
Marçal Filho (PMDB)
Biffi (PT)
MT
Wellington Fagundes (PR)
Homero Pereira (PT)
Valtenir (PSB)
Carlos Bezerra (PMDB)
Saguas (PT)
Julio Campos (DEM)
Nilson Leitão (PSDB)
Eliene Lima (PP)
PA
Wlad (PMDB)
Elcione (PMDB)
Arnaldo Jordy (PPS)
Priante (PMDB)
Beto Faro (PT)
Zenaldo Coutinho (PSDB)
Zequinha Marinho (PSC)
Lucio Vale (PR)
Nilson Pinto (PSDB)
Miriquinho Batista (PT)
Puty (PT)
Lira Maia (DEM)
Zé Geraldo (PT)
Josué Bengtson (PP)
Giovanni Queiroz (PDT)
Asdrubal (PMDB)
Wandenkolk (PSDB)
PB
Wellington Roberto (PR)
Ruy Carneiro (PSDB)
Manoel Junior (PMDB)
Wilson Filho (PMDB)
Luiz Couto (PT)
Romero Rodrigues (PSDB)
Bejamin Maranhão (PMDB)
Aguinaldo Ribeiro (PP)
Dr. Damião (PDT)
Efraim Filho (DEM)
Hugo Motta (PMDB)
Nilda Gondim (PMDB)
PE
Ana Arraes (PSB)
Eduardo da Fonte (PP)
João Paulo (PT)
Inocêncio Oliveira (PR)
Pastor Eurico (PSB)
Sérgio Guerra (PSDB)
Fernando Filho (PSB)
Mendonça (DEM)
Maurício Rands (PT)
Bruno Araujo (PSDB)
Danilo Cabral (PSB)
Gonzaga Patriota (PSB)
Wolney Queiroz (PDT)
Luciana Santos (PC do B)
Raul Henry (PMDB)
Pedro Eugenio (PT)
Silvio Costa (PTB)
Cadoca (PSC)
Augusto Coutinho (DEM)
José Chaves (PTB)
Jorge Corte Real (PTB)
Fernando Ferro (PT)
Roberto Teixeira (PP)
Anderson Ferreira (PR)
Paulo Rubem (PDT)
PI
Marcelo Castro (PMDB)
Marllos Sampaio (PMDB)
Átila Lira (PSB)
Hugo Napoleão (DEM)
Julio Cesar (DEM)
Assis Carvalho (PT)
Osmar Júnior (PC do B)
Iracema Portela (PP)
Paes Landim (PTB)
Jesus Rodrigues (PT)
PR
Ratinho Junior (PSC)
Hermes Parcianello Frangao (PMDB)
André Vargas (PT)
Alex Canziani (PTB)
Cida Borghetti (PP)
Delegado Francischini (PSDB)
João Arruda (PMDB)
Rubens Bueno (PPS)
Osmar Serraglio (PMDB)
Micheletto (PMDB)
Giacobo (PR)
Hauly (PSDB)
Nelson Meurer (PP)
Takayama (PSC)
Zeca Dirceu (PT)
Angelo Vanhoni (PT)
Dilceu Sperafico (PP)
Alfredo Kaefer (PSDB)
Eduardo Sciarra (DEM)
André Zacharow (PMDB)
Sandro Alex (PPS)
Reinhold Stephanes (PMDB)
Assis do Couto (PT)
Dr. Rosinha (PT)
Cezar Silvestri (PPS)
Lupion (DEM)
Nelson Padovani (PSC)
Edmar Arruda (PSC)
Rosane Ferreira (PV)
Leopoldo Meyer (PSB)
RJ
Garotinho (PR)
Chico Alencar (PSOL)
Leonardo Picciani (PMDB)
Vitor Paulo (PRB)
Eduardo Cunha (PMDB)
Romário (PSB)
Jandira Feghali (PC do B)
Alexandre Cardoso (PSB)
Washington Reis (PMDB)
Alessandro Molon (PT)
Jair Bolsonaro (PP)
Pedro Paulo (PMDB)
Arolde de Oliveira (DEM)
Filipe Pereira (PSC)
Hugo Leal (PSC)
Dr Aluizio (PV)
Rodrigo Maia (DEM)
Luiz Sergio (PT)
Julio Lopes (PP)
Otavio Leite (PSDB)
Stepan Nercessian (PPS)
Andreia Zito (PSDB)
Marcelo Matos (PDT)
Simão Sessim (PP)
Rodrigo Bethlem (PMDB)
Sirkis (PV)
Adrian (PMDB)
Alexandre Santos (PMDB)
Ezequiel (PMDB)
Benedita (PT)
Sergio Zveiter (PDT)
Miro Teixeira (PDT)
Glauber (PSB)
Francisco Floriano (PR)
Edson Santos (PT)
Bittar (PT)
Walney Rocha (PTB)
Dr Adilson Soares (PR)
Zoinho (PR)
Felipe Bornier (PHS)
Neilton Mulim (PR)
Dr Paulo Cesar (PR)
Liliam Sá (PR)
Aureo (PRTB)
Paulo Feijó (PR)
Jean Wyllys (PSOL)
RN
Fatima (PT)
João Maia (PR)
Henrique Eduardo Alves (PMDB)
Fábio Faria (PMN)
Felipe Maia (DEM)
Betinho Rosado (DEM)
Sandra Rosado (PSDB)
Paulo Wagner (PV)
RO
Marinha Raupp (PMDB)
Dr. Mauro Nazif (PSB)
Nilton Capixaba (PTB)
Carlos Magno (PP)
Moreira Mendes (PPS)
Lindomar Garçon (PV)
Padre Ton (PT)
Marcos Rogério (PDT)
RR
Teresa Jucá (PMDB)
Paulo César Quartiero (DEM)
Johnathan de Jesus (PRB)
Edio Lopes (PMDB)
Luciano Castro (PR)
Berinho Bantaim (PSDB)
Raul Lima (PP)
Chico das Verduras (PRP)
RS
Manuela D'Ávila (PC do B)
Beto Albuquerque (PSB)
Luís Carlos Heinze (PP)
Danrlei de Deus Goleiro (PTB)
Pimenta PT (PT)
Henrique Fontana (PT)
Osmar Terra (PMDB)
Covatti (PP)
Marco Maia (PT)
Pepe Vargas (PT)
Perondi (PMDB)
Giovani Cherini (PDT)
José Otávio Germano (PP)
Mendes Ribeiro Filho (PMDB)
Renato Molling (PP)
Marcon (PT)
Ronaldo Zulke (PT)
Afonso Hamm (PP)
Sérgio Moraes (PTB)
Nelson Marchezan Junior (PSDB)
Enio Bacci (PDT)
Elvino Bohn Gass (PT)
Fernando Marroni (PT)
Busato (PTB)
Jerônimo Goergen (PP)
Onyx (DEM)
Alceu Moreira (PMDB)
Vieira da Cunha (PDT)
Assis Melo (PC do B)
Stédile (PSB)
Dr. Alexandre Roso (PSB)
SC
Mauro Mariani (PMDB)
Esperidião Amin (PP)
Paulo Bornhausen (DEM)
João Rodrigues (DEM)
Jorginho Mello (PSDB)
Décio Lima (PT)
Pedro Uczai (PT)
Rogério Mendonça - Peninha (PMDB)
Odacir Zonta (PP)
Marco Tebaldi (PSDB)
Edinho Bez (PMDB)
Celso Maldaner (PMDB)
Onofre Agostini (DEM)
Ronaldo Benedet (PMDB)
Jorge Boeira (PT)
Luci Choinacki (PT)
SE
Valadares Filho (PSB)
Mendonça Prado (DEM)
André Moura (PSC)
Laércio Oliveira (PR)
Almeida Lima (PMDB)
Pastor Heleno (PRB)
Marcio Macedo (PT)
Fabio Reis (PMDB)
SP
Tiririca (PR)
Gabriel Chalita (PSB)
Bruna Furlan (PSDB)
Paulinho da Força (PDT)
João Paulo Cunha (PT)
Jilmar Tatto (PT)
Rodrigo Garcia (DEM)
Emanuel Fernandes (PSDB)
Zarattini (PT)
Luiza Erundina (PSB)
Ota (PSB)
Marco Feliciano (PSC)
Arlindo Chinaglia (PT)
Arnaldo Faria de Sá (PTB)
Ivan Valente (PSOL)
Edson Aparecido (PSDB)
Valdemar Costa Neto (PR)
Márcio França (PSB)
José Anibal (PSDB)
Vaz de Lima (PSDB)
Jorge Tadeu (DEM)
Antonio Bulhões (PRB)
Jonas Donizette (PSB)
Pr Paulo Freire (PR)
Missionário José Olimpio (PP)
Vicente Candido (PT)
Mara Gabrilli (PSDB)
Filippi (PT)
Carlos Sampaio (PSDB)
Janete Pietá (PT)
Vicentinho (PT)
Arnaldo Jardim (PPS)
Ricardo Berzoini (PT)
Thame (PSDB)
José Mentor (PT)
Dimas Ramalho (PPS)
Tripoli (PSDB)
Paulo Teixeira (PT)
Carlinhos Almeida (PT)
Aldo Rebelo (PC do B)
Vaccarezza (PT)
Milton Monti (PR)
Luiz Fernando Machado (PSDB)
Devanir Ribeiro (PT)
Duarte Nogueira (PSDB)
Eli Correa Filho (DEM)
Roberto Freire (PPS)
Nelson Marquezelli (PTB)
Jefferson Campos (PSB)
Dib (PSDB)
Julio Semeghini (PSDB)
Junji Abe (DEM)
Alexandre Leite (DEM)
Guilherme Campos (DEM)
Newton Lima Neto (PT)
Edinho Araujo (PMDB)
Marcelo Aguiar (PSC)
Guilherme Mussi (PV)
Otoniel Lima (PRB)
Delegado Protógenes (PC do B)
Vanderlei Siraque (PT)
Ricardo Izar (PV)
Aline Correa (PP)
Penna (PV)
Abelardo Camarinha (PSB)
Roberto De Lucena (PV)
João Dado (PDT)
Roberto Santiago (PV)
Dr. Sinval Malheiros (PV)
Salvador Zimbaldi (PDT)
TO
Júnior Coimbra (PMDB)
Eduardo Gomes (PSDB)
Agnolin (PDT)
Lázaro Botelho (PP)
César Halum (PPS)
Laurez Moreira (PSB)
Irajá Abreu (DEM)
Professora Dorinha (DEM)